Depois que Marcia Lucas, a editora da trilogia original de ‘Star Wars’, detonou os filmes prequela da franquia e os feitos sob a tutela da Disney, foi a vez do astro Mark Hamill falar de outros longas da saga. Mas, o ator que interpretou o Jedi Luke Skywalker em seis filmes deixou apenas elogios aos longas lançados entre 1999 e 2005, que não contaram com a sua participação.

“Fiquei impressionado com o fato de as prequelas terem sua própria identidade. Eles foram criticados porque eram pesados ​​em termos de exposição e mais cerebrais e provavelmente, como ele disse em 1976, não eram tão comerciais”, comentou Hamill, em entrevista para o livro de JW Rinzler sobre Howard Kazanjian, produtor de ‘O Império Contra-Ataca’ e ‘O Retorno do Jedi’.

publicidade

Leia mais:

Mark Hamill chegou ao papel de Luke Skywalker no filme de 1977, ‘Uma Nova Esperança’, e seguiu nos dois produzidos por Kazanjian. Ele retornou ao personagem depois que a Disney comprou a franquia, em ‘O Despertar da Força’, ‘Os Últimos Jedi’ e ‘A Ascenção Skywalker’.

“É uma história mais sombria. Mas na era da mídia social, as vozes das pessoas são amplificadas, e estou chocado com o quão brutais elas podem ser, não apenas no caso dos filmes de ‘Guerra nas Estrelas’, mas em todos os aspectos”, completou o ator.

Star Wars - A Ameaça Fantasma - Obi Wan Kenobi e Qui Gon Jin Ewan McGregor e Liam Neeson
A trilogia prequela foi lançada entre 1999 e 2005. Imagem: Lucasfilm/Reprodução

Bem diferente dele, Marcia Lucas não escondeu sua antipatia pelas prequelas e pelos filmes Disney. Ela ganhou um Oscar pela edição do primeiro filme da franquia, junto a Paul Hirsch e Richard Chew. Ex-esposa de George Lucas, com quem foi casada entre 1969 e 1983, ela disse que chorou após ‘A Ameaça Fantasma’, de tão ruim que achou o filme.

“George é, em seu coração e alma, um cara bom e um cineasta talentoso. Eu gostaria que ele continuasse dirigindo (outros tipos de) filmes. Mas quando fui ver o Episódio I – tinha um amigo que trabalhava no ILM, que me levou como convidado para uma prévia – chorei. Chorei porque não achei muito bom. E eu pensei que ele tinha uma veia tão rica para mim, uma paleta rica para contar histórias”, disse ela, também em entrevista para o livro.

A editora foi ainda mais firme quanto aos novos longas. “Kathy Kennedy (presidente da Luscasfilm) e J.J. Abrams não têm a menor ideia sobre ‘Star Wars’. Eles não entendem. E J.J. Abrams está escrevendo essas histórias – quando eu vi aquele filme onde eles matam Han Solo, fiquei furiosa”, concluiu.

Via: Indie Wire

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!