A startup ‘Gabriel’, que opera no setor de tecnologia aplicada à segurança, captou R$ 66 milhões em um aporte financeiro liderado pela multinacional japonesa SoftBank — em 2021, as startups brasileiras já captaram R$ 33,5 bilhões em investimento até setembro. Mais de três vezes acima que o mesmo período de 2020.

Com o reforço no caixa, o plano da empresa é investir na expansão da sua infraestrutura de câmeras inteligentes em bairros no Rio de Janeiro (RJ) e também oferecer o serviço em outras capitais do Brasil.

publicidade
Uma das câmeras de segurança da startup 'Gabriel'.
Uma das câmeras de segurança da startup ‘Gabriel’. Imagem: Gabriel/Divulgação

Startup criou um sistema de câmeras inteligentes interconectadas

Fundada em 2020, a empresa se inspirou em práticas que ajudaram a reduzir a criminalidade em grandes cidades, como Londres e Nova York. Locais onde a tecnologia também reforça a eficiência do trabalho das autoridades.

Para aplicar esse modelo no Brasil, foi preciso criar um sistema de baixo custo com câmeras interconectadas. Segundo a empresa, funciona assim: ao assinar o serviço, edifícios, casas e estabelecimentos comerciais próximos compartilham as imagens das câmeras.

Cada membro é integrado a uma central própria de apoio e investigações. Com isso, a plataforma consegue acionar a polícia em questão de minutos no caso de alguma ocorrência.

Leia mais:

Ao longo do mês de setembro, a startup revela que participou de mais de uma investigação por dia nos bairros do Leblon e Ipanema, além de ter contribuído com a identificação e prisão de criminosos. “Não pouparemos recursos para devolver às cidades que protegemos, ruas seguras e transparentes”, afirma Otávio Miranda, co-fundador da ‘Gabriel’.

Por fim, a empresa afirma que atualmente possui o maior parque de câmeras de segurança da capital carioca.

Créditos da imagem principal: giggsy25/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!