Um estudo publicado recentemente na revista Frontiers in Ecology and Evolution descobriu que o cérebro humano, o órgão mais complexo do nosso organismo, diminuiu de tamanho há aproximadamente 3 mil anos. E os pesquisadores estudaram as formigas para compreender o que aconteceu.

De acordo com a pesquisa, conduzida por cientistas da Faculdade de Dartmouth e da Universidade de Boston, nos EUA, a hipótese é de que o encolhimento do cérebro é paralelo à expansão da inteligência coletiva nas sociedades humanas.

publicidade

Leia mais:

A comunidade científica sabe que os cérebros humanos aumentaram de tamanho ao longo de nossa história evolutiva. No entanto, menos apreciado é o fato de que o órgão diminuiu de tamanho no período Holoceno. Quando exatamente essas mudanças aconteceram, ou o motivo, não era bem conhecido até então.

“Um fato surpreendente sobre os humanos hoje é que nossos cérebros são menores em comparação com os cérebros de nossos ancestrais do Pleistoceno. Por que nossos cérebros diminuíram de tamanho tem sido um grande mistério para os antropólogos”, explicou o coautor Jeremy DeSilva, da Faculdade de Dartmouth.

Cérebro humano reduziu de tamanho há 3 mil anos e pesquisadores tentam entender o motivo. Imagem: Hank Grebe – Shutterstock

Para desvendar esse mistério, uma equipe de pesquisadores de diferentes campos acadêmicos começou a estudar os padrões históricos da evolução do cérebro humano, comparando suas descobertas com o que é conhecido nas sociedades de formigas para oferecer amplos entendimentos.

“Um antropólogo biológico, um ecologista comportamental e um neurobiólogo evolucionário começaram a compartilhar seus pensamentos sobre a evolução do cérebro e descobriram que a pesquisa de ligação em humanos e formigas pode ajudar a identificar o que é possível na natureza”, disse o coautor James Traniello, da Universidade de Boston.

Redução do cérebro humano foi inesperada

Segundo o site Phys, os pesquisadores aplicaram uma análise de ponto de mudança a um conjunto de dados de 985 fósseis e crânios humanos modernos. Eles descobriram que o tamanho do cérebro humano aumentou em dois períodos: 2,1 milhões de anos atrás e 1,5 milhão de anos atrás, durante o Pleistoceno, mas diminuiu de tamanho cerca de 3 anos atrás, o que é mais recente do que as estimativas anteriores.

“A maioria das pessoas está ciente de que os humanos têm cérebros grandes – significativamente maiores do que o previsto pelo tamanho do nosso corpo. Em nossa profunda história evolutiva, o tamanho do cérebro humano aumentou dramaticamente”, disse Traniello. “A redução no tamanho do cérebro humano há 3 mil anos foi inesperada”.

Segundo Traniello, o momento do aumento de tamanho coincide com o que é conhecido anteriormente sobre a evolução inicial do Homo e os avanços técnicos que o levaram; por exemplo, a uma melhor dieta e nutrição e a formar grupos sociais maiores.

O papel das formigas no estudo

“Propomos que as formigas possam fornecer diversos modelos para entender por que os cérebros podem aumentar ou diminuir de tamanho devido à vida social. Entender por que os cérebros aumentam ou diminuem é difícil de estudar usando apenas fósseis”, explicou Traniello.

Dentro de um grupo social onde o conhecimento é compartilhado, como acontece com as formigas, os cérebros podem diminuir de tamanho. Imagem: NOTE OMG – Shutterstock

O estudo de modelos computacionais e padrões de tamanho do cérebro da formiga operária, estrutura e uso de energia em outros grupos de formigas, como a formiga tecidora Oecophylla, as formigas cortadeiras Atta ou a formiga de jardim comum, mostrou que a cognição em grupo e a divisão do trabalho podem ter pesado para variação adaptativa do tamanho do cérebro.

Isso significa que dentro de um grupo social onde o conhecimento é compartilhado ou os indivíduos são especialistas em certas tarefas, os cérebros podem se adaptar para se tornar mais eficientes, podendo diminuir de tamanho.

“As sociedades humanas e de formigas são muito diferentes e seguiram caminhos diferentes na evolução social”, disse Traniello. “No entanto, as formigas também compartilham com os humanos aspectos importantes da vida social, como a tomada de decisões em grupo e a divisão do trabalho, bem como a produção de seus próprios alimentos. Essas semelhanças podem nos informar amplamente sobre os fatores que podem influenciar as mudanças no tamanho do cérebro humano”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!