Desde o início das campanhas de vacinação contra a Covid-19, muitas dúvidas surgiram a respeito dos imunizantes, entre elas, a segurança da aplicação e reação em pessoas com histórico de alergias graves.

Agora, no entanto, um estudo do JAMA Network Open, periódico médico publicado pela American Medical Association, revelou que, embora as pessoas com esse histórico relatassem mais sintomas alérgicos após a vacinação, quase todas elas conseguiram se vacinar totalmente e de forma segura.

publicidade

A pesquisa avaliou a campanha de vacinação de 52.998 funcionários da área de saúde, onde 474 (0,9%) relataram histórico de reações alérgicas graves a medicamentos, vacinas ou alérgenos. Segundo os resultados, divulgados pelo Medical Xpress, 11,6% dos funcionários com histórico relataram reações alérgicas após receberem a 1° ou 2° dose de uma vacina de mRNA contra a Covid-19. Para fins de comparação, 4,7% dos funcionários sem esse histórico também tiveram algumas reações. 

Covid-19: vacinas são seguras para pessoas com histórico de reações alérgicas, afirma estudo. Imagem: DEIVIDI CORREA DE SOUZA / Shutterstock

Para quem tem histórico, o risco de reações alérgicas foi associado a 2,5 vezes mais chances de acontecer e, entre os maiores sintomas estão: a urticária e angioedema (inchaço). No entanto, apesar desses sintomas, 97,6% conseguiram se imunizar completamente. 

“Os resultados deste estudo podem ajudar a orientar as expectativas para pacientes com histórias de alergia de alto risco. Podem ocorrer sintomas como urticária e inchaço, particularmente com a primeira dose da vacina, mas a maioria dos sintomas alérgicos relatados não impediu a conclusão do mRNA de duas doses de vacinas “, explicou a autora principal Lily Li, docente de alergia na Divisão de Alergia e Imunologia Clínica do Hospital Brigham and Women’s.

Leia mais!

Para a equipe, os resultados significam que há segurança na vacina mesmo para indivíduos com histórico de alergias e, a pesquisa pode ajudar, inclusive, a acalmar este grupo que por receio pode ainda não ter se imunizado.

“Esperamos que esses dados ajudem a informar as conversas em andamento com pacientes que estão hesitantes em receber a vacina da Covid-19 devido a preocupações com alergia”, comentou a autora sênior, Kimberly G. Blumenthal, codiretora do Programa de Epidemiologia Clínica da Divisão de Reumatologia, Alergia e Imunologia do hospital de Massachusetts.

“Em nossas instituições, quase todos os indivíduos com e sem histórico de alergia de alto risco foram capazes de completar a série de vacinas de duas doses”, acrescentou a especialista.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!