Na maioria dos casos, eVTOLs têm sido vistos pela indústria do transporte aéreo como veículos para uso comercial, a exemplo dos táxis voadores que começarão a circular pelo Brasil nesta década. Algumas empresas, porém, caminham por outra direção. É o caso da israelense Air, que acaba de anunciar o Air One, um protótipo eVTOL de dois lugares projetado para recreação pessoal e “destinado à aventura, à diversão e aos voos do dia a dia dos consumidores.”

Aliás, mais do que as intenções acima, a empresa israelense promete um veículo funcional que seja quase correlato ao uso de um automóvel particular. “Queremos tornar o céu acessível a todos”, explica o cofundador e CEO da empresa, Rani Plaut, em entrevista ao site Future Flight. “A pessoa que dirige um carro não necessariamente é um [motorista] profissional e esse veículo aéreo elétrico pessoal será baseado no DNA automotivo. [Outras empresas] estão desenvolvendo táxis aéreos por causa da complexidade e da necessidade de justificar seus altos custos, mas isso é o rabo abanando o cachorro.”

publicidade
Air One, o eVTOL para as massas
Air/Divulgação

Ainda em fase de testes, o Air One traz um design de asa fixa e é impulsionado por oito motores elétricos montados em quatro pods posicionados à frente da cabine e nas aletas traseiras. O cockpit, feito de vidro, facilita a visibilidade dos pilotos acima e abaixo da aeronave e as asas podem ser encolhidas, afirma a companhia, para que o Air One consiga ser guardado no espaço de uma vaga de garagem. Além disso, qualquer um dos dois ocupantes pode assumir o controle da aeronave, já que o painel de controle pode ser compartilhado.

Pesando 970 kg, o Air One possui trem de pouso retrátil e autonomia de 177 km — o equivalente a uma hora no ar —, com velocidade máxima de 249 km/h. A empresa israelense não deu detalhes sobre baterias, mas afirma que o veículo pode ser recarregado totalmente em uma hora e de 20% a 80% em 30 minutos. A carga máxima é de 200 quilos, incluindo o espaço para dois bagageiros de tamanho padrão — portanto, é bom o piloto estar em forma antes de assumir a aeronave.

publicidade
Air One, o eVTOL para as massas
Air/Divulgação

Veículo, porém, ainda não tem certificação

Embora soe como o eVTOL do futuro, o Air One ainda não tem autorização da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) para voar por aí. Para acelerar o processo, a Air diz estar trabalhando em um sistema de controle chamado fly by intent em que os proprietários precisarão de pouco treinamento para operar o veículo. A tecnologia se baseia em sistemas já implantados em drones.

“Nossa aeronave é como um organismo, com um copiloto automático ao seu lado, liberando você para dizer ao manche o que quiser”, diz Plaut, que espera obter a autorização para vender o produto no segundo semestre de 2024. “Os três níveis [de pilotagem, que ainda não foram explicados em detalhes] funcionam em harmonia, e se você não quiser ir a nenhum lugar, eles não vão.”

publicidade

A Air também não anunciou o preço do One, embora o eVTOL já tenha sido colocado para pré-venda. Atualmente, a empresa trabalha com 20 funcionários em Israel e nos Estados Unidos. Os testes com protótipos começaram em 2017 e um modelo em escala de 60% do veículo já foi produzido no ano passado.

Via DroneDJ e Future Flight

publicidade

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!