“Nossa, parece que 2020 passou voando!” Não, não parece. No ano passado, a Terra realmente girou mais rápido em torno de seu próprio eixo. No entanto, a rotação voltou a diminuir seu ritmo em 2021. Em média, cada dia na Terra tem 86.400 segundos. Mas isso varia um pouco o tempo todo, dependendo do movimento do núcleo, dos oceanos e da atmosfera. 

2020 teve os 28 dias mais rápidos desde 2005. Rotação da Terra está mais lenta em 2021, mas ainda assim está acima da média. Imagem: Malcolm Leman – Shutterstock

De acordo com o site Space, o Tempo Universal Coordenado (UTC), o método oficial de cronometragem internacional, é baseado em relógios atômicos, que medem o tempo pelo movimento dos elétrons em átomos que foram resfriados quase que ao zero absoluto. Os relógios atômicos são precisos e invariáveis. 

publicidade

Adição de “segundo bissexto” 

No entanto, às vezes, a rotação da Terra e os relógios atômicos não sincronizam. Quando o tempo astronômico, baseado na rotação da Terra, se desvia do UTC em mais de 0,4 segundos, o UTC recebe um ajuste na forma de um “segundo bissexto”. Cientistas adicionaram um segundo bissexto a cada 18 meses em média desde 1972, de acordo com o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST).

Ocasionalmente, os segundos bissextos são adicionados ao fim do ano, como aconteceu pela última vez na véspera de Ano Novo de 2016, quando um segundo foi adicionado às 23 horas, 59 minutos e 59 segundos de 31 de dezembro. 

Leia mais:

Quando os segundos são subtraídos, o evento é conhecido como segundo bissexto negativo. No entanto, nunca houve um salto de segundo negativo na cronometragem internacional. E o ano de 2020, como se já não tivesse sido atípico o suficiente (oi, pandemia de Covid-19!), levantou a possibilidade de que isso fosse necessário. 

Rotação da Terra em 2020 bateu recordes 28 vezes

Segundo o NIST, a rotação da Terra acelerou no ano passado ao ponto de quebrar 28 vezes o recorde anterior de dia mais curto, registrado em 2005. O dia mais curto de 2020 foi 19 de julho, quando o planeta completou sua rotação 1,4602 milissegundos mais rápido do que a média de 86.400 segundos. 

Agora, o movimento de rotação da Terra diminuiu, embora a primeira metade de 2021 ainda tenha sido rápida, com a duração média de um dia marcando 0,39 milissegundos a menos do que em 2020. Mas, de 1º de julho a 30 de setembro, os dias se alongaram para 0,05 milissegundos a mais, em média, do que no ano passado.

Isso significa que a Terra, apesar de não estar mais acelerando sua rotação, ainda está girando a uma taxa mais rápida do que a média. Com base na taxa atual de rotação, um segundo bissexto negativo pode ser necessário em cerca de 10 anos. A decisão final em relação a isso será do Serviço Internacional de Rotação da Terra e Sistemas de Referência (IERS) em Paris. 

No entanto, é inteiramente possível que a rotação da Terra diminua novamente, talvez necessitando da adição de um segundo nos próximos anos em vez da subtração. Não há como prever: os cientistas não têm certeza do que impulsiona as mudanças de longo prazo na rotação da Terra. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!