Um levantamento da empresa de pesquisas TransUnion revelou que a flexibilização na pandemia mudou o comportamento dos cibercriminosos, que voltaram suas fraudes para os setores de viagens, lazer, jogos e comunidades virtuais.

A análise trimestral, que avalia os números no mundo todo, mostra que tentativas de golpes em geral, como o phishing, subiram 16,5%, em comparação ao 2º trimestre de 2021 (abril a junho). Os setores também foram os mais impactados globalmente, com as indústrias de games subindo 393% e as de viagens & lazer, 155,9%.

publicidade

No Brasil, estes números se comportaram um pouco diferente: a taxa de tentativas de fraude digital caiu para 60,7% no quadro geral — mas no mercado de viagens e lazer, o aumento foi de 255,1%. Apps e sites de namoro tiveram aumento de 169,5% e jogos, 134,8%.

imagem de cartões de crédito sendo perfurados com um anzol
(Imagem: wk1003mike/Shutterstock)

Para Shai Cohen, vice-presidente sênior de soluções globais de fraude da TransUnion, a mudança é um movimento natural dos cibercriminosos, que tendem a procurar as indústrias em maior expansão. O representante afirma:

“No último trimestre, dois movimentos refletiram no aumento do número de suspeitas de fraudes na internet. O primeiro foi a retomada do turismo com o avanço da flexibilização do isolamento, atraindo a curiosidade dos fraudadores para o site de viagens. Já o segundo foi atrelado à ascensão do mercado de games durante a pandemia.”

Especialista dá dicas para se proteger das fraudes no setor de viagens

Em entrevista no programa de ontem (26/10) do Olhar Digital, o professor de Cibersegurança da FIAP, Gustavo Torrente, deu dicas para ajudar os usuários a se protegerem das fraudes decorrentes do mercado de viagens após a pandemia.

“Cada vez mais os golpes de phishing estão melhorando em qualidade e a persuasão é forte. Existem ferramentas, como o antivírus, ou até extensões para navegador, que identificam ali um phishing”, comenta Torrente. O professor aponta que o usuário deve fiquar atento ao conteúdo do site, no caso de algum detalhe estar errado no conteúdo ou email com remetente estranho.

O especialista de cibersegurança também recomenda que, antes de pagar por um pacote de viagem, é importante que o usuário procure se informar da reputação do vendedor.

“Se vai fazer uma compra, avalie as opiniões no Google, no ReclameAqui, e vê se teve algum tipo de problema com aquela empresa, e como ela resolveu aquilo. E certifique-se de que você está comprando do site oficial, pois os golpes de phishing estão cada vez mais parecidos com os sites oficiais.”

Imagem: Prostock-Studio/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!