Após Elon Musk fazer uma enquete no Twitter perguntando se deveria ou não vender ações da Tesla, os papéis da montadora de veículos elétricos caíram na Nasdaq (principal índice de tecnologia dos Estados Unidos). Os valores caíram de US$ 1.181,86 no fechamento de sexta-feira para uma mínima US$ 1.060,08 na manhã de hoje, uma queda de mais de 10%.

publicidade
Gráfico das Ações da Tesla (Imagem: Yahoo Finances/Reprodução)

A votação na rede social foi favorável para que o CEO vendesse 10% de sua participação na Tesla. Foram mais de 3,5 milhões de votos, na enquete que foi encerrada no domingo (07/11), sendo 57,9% deles para o “Sim”.

A ideia surgiu como uma resposta do empresário ao debate atual nos Estados Unidos sobre a taxação de pessoas muito (muito mesmo) ricas. Como motivo para a possível venda de suas ações, Elon Musk tuitou na sequência da enquete que não recebe salário em dinheiro ou bônus de qualquer lugar. “Eu só tenho ações, portanto, a única maneira de pagar impostos pessoalmente é vendendo ações”.

Para termos uma ideia melhor sobre isso, o CEO possuía cerca de 170,5 milhões de ações da Tesla até 30 de junho. Uma venda de 10% desse montante seria o equivalente a US$ 21 bilhões (um pouco mais de R$ 116 bilhões), com base no preço de fechamento de sexta-feira (05/11), segundo cálculos da Reuters.

Taxação de ganhos

De acordo com a proposta em andamento nos EUA, se os ativos aumentarem de valor, mesmo que a pessoa não os venda, ela seria obrigada a pagar impostos sobre o ganho não realizado. Assim, a brecha fiscal que permite o adiamento indefinido dos impostos sobre ganhos de capital (ao mesmo tempo em que é possível tomar empréstimos com base nessa riqueza) seria eliminada.

Reforçando o motivo para a enquete do CEO da Tesla no Twitter, há uma possível “bomba relógio tributária”. Musk recebeu quase 23 milhões de opções de ações em 2012, e as ações devem expirar em 2022. Quando isso acontecer, o bilionário talvez precise pagar até US$ 10 bilhões em impostos.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.

Imagem: vasilis asvestas/Shutterstock