A agência espacial americana Nasa uniu forças com a Marinha dos Estados Unidos a fim de testar uma tecnologia de sinalização a ser instalada na cápsula Orion, para a missão não tripulada Artemis-1: o objetivo é que a nave tenha um tipo de farol que simplifique a sua localização após ela retornar de sua viagem à Lua, facilitando a sua recuperação.

O teste, conduzido pelo Escritório de Busca e Resgate (SAR) da Nasa, vai avaliar uma série de procedimentos de resgate da cápsula, e é considerado uma parte essencial da missão. A saber: o lançamento da missão Artemis-1 é o “voo de teste” do Projeto Artemis, e servirá para provar a viabilidade de que missões futuras a ela sejam tripuladas por astronautas que, com sorte, farão com que o homem volte à Lua em meados de 2025.

publicidade

Leia também:

Imagem mostra a cápsula Orion, com os sistemas de sinalização instalados pela Nasa em conjunto com a Marinha dos EUA
Sistema de faróis de sinalização será usado para facilitar o resgate das cápsulas Orion, empregadas durante todas as missões do Programa Artemis (Imagem: Frank Michaux/Nasa/US Navy/Divulgação)

O sistema é intitulado “Cospas-Sarsat” e consiste de uma tecnologia que é fruto de esforços internacionais para que equipes de resgate encontrem satélites perdidos que desceram da atmosfera em nossos oceanos ou locais de difícil acesso. Originalmente fundado em 1979, o programa conta com a consultoria da Nasa para aprimoramento técnico.

Entrando no “tecniquês”, o Cospas-Sarsat usa uma frequência protegida de 406 MHz, onde os repetidores instalados trabalham com sinais de GPS e outros sistemas baseados em geolocalização para “ouvir” esses faróis de sinalização, determinando a localização do objeto a ser recolhido.

“As iniciativas de busca e resgate da Nasa abriram o caminho para que equipes de emergência no mundo inteiro pudessem desenvolver tecnologias para buscar pessoas no ar, terra e mar”, disse JJ Miller, diretor do Programa de Escaneamento e Navegação (SCaN) da agência americana. “É algo natural que a Nasa também aprimore esses serviços para contemplar também nossos esforços primários nas missões humanas de exploração”.

No caso da Artemis-1, a ideia é que os astronautas fiquem dentro da cápsula Orion até que as forças de resgate apareçam para buscá-los. Além dos faróis instalados na cápsula, os coletes salva-vidas dos viajantes também contarão com sistemas de localização (apelidados “ANGEL”, ou “Localizador de Emergência de Nova Geração”, em inglês).

“As missões do Programa Artemis vão usar as nossas tecnologias mais novas, pavimentando o caminho para que melhores aprimoramentos sejam criados para usuários futuros”, disse a chefe administrativa do SAR, Lisa Mazzuca. “Essas inovações tiram vantagem dos upgrades feitos ao segmento espacial do sistema Cospas-Sarsat”.

Embora os testes programados sejam desenhados especialmente para as missões do Programa Artemis, a Nasa informa que as tecnologias do Cospas-Sarsat estarão disponíveis comercialmente, direcionadas a entidades de resposta a emergências e outras autoridades de defesa civil.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!