Weltmeister Motor é o nome, mas é tão alemão quanto a cerveja German Haren Calder feita em Hong Kong. A startup chinesa, criada em 2018 para fabricar carros elétricos em conta, já produz quatro modelos. E, agora, com seu quinto, tem grandes ambições: um carro (eventualmente) 100% autônomo, que dispensa motorista.

O M7 é equipado para ter um nível 5 de autonomia. Esse é o Santo Graal, o maior de todos os níveis: um carro que nunca precisa de gente no volante. A própria Tesla, apesar de, não sem controvérsia, chamar seu sistema de Full Self Driving (“Autodireção Completa”) ainda só atinge o 2: o motorista não pode largar o volante nunca.

publicidade

Em tese, um carro assim nem precisa de volante ou pedais, ainda que provavelmente os fabricantes vão deixar essa opção para carros particulares.

Carro está equipado para autonomia, mas falta chegar o futuro

O M7 vem com tudo porque, enfim, ainda não é um carro autônomo – ninguém conseguiu até hoje ter aprovado pra botar na rua um sistema que realmente possa fazer tudo de forma mais segura que um humano dirigindo, em qualquer lugar e qualquer condição.

Mas o MT tem 32 sensores para torná-lo um carro autônomo. São três “radares a laser” (LiDAR), 12 sensores por ultrassom, 4 câmeras de 360 graus, e um módulo de GPS de alta precisão. Gerindo isso está o chipset Nvidia’s Driv Orin-X, que já é usado por outras montadoras como Volvo e Nio. Esse poderá, um dia, acredita a GM Motors, receber software para autonomia total.

O M7 também conta com muito respeitáveis 700 km de autonomia. Deve estrear ano que vem em sua terra natal.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!