A AMD consertou uma série de vulnerabilidades de segurança encontradas nos drivers gráficos para dispositivos baseados no Windows 10. De acordo com a fabricante, as falhas permitiam que invasores executassem códigos arbitrários, tornando os computadores vulneráveis.

Segundo a AMD, a gravidade das falhas varia. Algumas eram apenas bugs, enquanto outras podiam tornar os computadores suscetíveis à ataques. Em nota, a empresa destacou: “em uma análise abrangente das chamadas AMD Escape, um conjunto potencial de fraquezas em várias APIs foi descoberto, o que pode resultar em escalada de privilégio, negação de serviços, divulgação de informações, desvios KASLR ou gravação arbitrária na memória do Kernel”.

publicidade

A empresa ainda destacou que as falhas foram descobertas pelos pesquisadores de segurança Ori Nimron e driverThru_Bob 9th, Eran Shimony da CyberArk Labs e Lucas Boyullot da Apple Media Products RedTeam. Dar o crédito aos profissionais que encontram estes tipos de erros é uma prática padrão do mercado de tecnologia.

A lista completa de bugs corrigidos inclui:

  • Ori Nimron (@ orinimron123): CVE-2020-12892, CVE-2020-12893, CVE-2020-12894, CVE-2020-12895, CVE-2020-12897, CVE-2020-12898, CVE-2020-12899, CVE -2020-12900, CVE-2020-12901, CVE-2020-12902, CVE-2020-12903, CVE-2020-12904, CVE-2020-12905, CVE-2020-12963, CVE-2020-12964, CVE-2020 -12980, CVE-2020-12981, CVE-2020-12982, CVE-2020-12983, CVE-2020-12986, CVE-2020-12987
  • Eran Shimony, da CyberArk Labs: CVE-2020-12892
  • Lucas Bouillot, da Apple Media Products RedTeam: CVE-2020-12929
  • driverThru_BoB 9º: CVE-2020-12960

A AMD também divulgou a lista completa de vulnerabilidades encontradas no AMD Graphics Driver para Windows 10 em seu site oficial.

Leia mais:

Problemas no Windows 11

A AMD também anunciou que os problemas de queda de desempenho em processadores baseados no Windows 11 também foram corrigidos.

Após o lançamento do novo sistema operacional da Microsoft, muitos usuários da linha Ryzen reclamaram sobre erros graves e perda de desempenho em tarefas de alto desempenho como a execução de jogos e renderizações de programas gráficos.

De acordo com a AMD, a queda de desempenho tratava-se de um problema de compatibilidade que levou ao aumento da latência do cache L3, que resultou em um impacto direto no tempo de acesso ao subsistema de memória para alguns aplicativos.

Segundo a empresa, os usuários de chips AMD que ainda sofrerem com quedas de desempenho devem procurar o pacote de atualização opcional KB5006746 para o Windows 11, lançado em 21 de outubro.

O Windows 11 está disponível gratuitamente para usuários do Windows 10. No entanto, o novo sistema exige processadores compatíveis com o protocolo TPM 2.0  – presente a partir de chips de oitava geração da linha Alder Lake da Intel e da série 2000 dos chips Ryzen da AMD.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!