A prefeitura de São Paulo divulgou que irá usar a vacina da Pfizer para a segunda dose nas pessoas que foram vacinadas com o imunizante da Janssen contra a Covid-19. Foram cerca de 300 mil pessoas na capital paulista e a medida passa a valer nesta terça-feira (30).

De acordo com a aprefeitura, a intercambialidade respeita documento técnico do governo de São Paulo, que permite a utilização do imunizante da Pfizer em caso da falta de doses da Janssen.

publicidade

“Com o alto índice de imunização para primeira e segunda doses na capital e para fortalecer a vacinação nacional, qualquer pessoa pode se apresentar para receber o imunizante, independentemente do local de residência”, informou a nota. Sendo assim, ficou dispensada também a obrigatoriedade da apresentação de comprovante de endereço para receber a vacina.

Leia mais:

Fonte: Agência Brasil

Covid-19: Ministério da Saúde recomenda dose de reforço da Janssen

O Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica orientando que os 4 milhões de brasileiros que se vacinaram com a vacina da Janssen tomem uma dose de reforço no período entre dois a seis meses após a primeira aplicação.

Além disso, a recomendação do ministério é que seja utilizado a vacina do mesmo fabricante. De acordo com a nota da pasta, a orientação foi baseada em estudos científicos que demonstram um aumento significativo na imunidade depois da aplicação de mais uma dose da vacina, ainda mais em intervalo mais longo, como de seis meses. 

Para saber mais, acesse a reportagem completa no Olhar Digital.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!