Reforçando as apostas no metaverso, a ilha caribenha de Barbados decidiu adotar uma estratégia que pode virar tendência no futuro: abrir uma embaixada totalmente virtual.

A novidade está sendo construída no mundo Decentraland. Lembra do terreno virtual vendido recentemente por milhões de dólares? Então, o complexo diplomático do país será no mesmo ambiente e poderá ser acessado por meio de qualquer dispositivo compatível com realidade virtual. 

publicidade

Em resumo, um metaverso é qualquer ambiente virtual onde as pessoas podem interagir entre si através de seus avatares. O Decentraland, além disso, também permite comprar e vender arte digital (NFTs) e lotes de espaços virtuais. Tido por muitos como uma oportunidade de receita extra, o metaverso também já despertou o interesse de grandes marcas como a Nike, por exemplo.

Metaverso: Barbados abre embaixada virtual no mundo Decentraland
Exemplo de um avatar dentro do mundo virtual Decentraland. Imagem: Ira Lichi/Shutterstock

O responsável pela iniciativa foi Gabriel Abed, o embaixador de Barbados nos Emirados Árabes. Abed reforça que o metaverso vai “mudar a maneira como o mundo funciona”. Para ele, o grande diferencial será “o que os governos podem fazer juntos quando o terreno não for mais físico” e sem limitações.

Veja também

A construção da nova embaixada do país vai custar até US$ 50 mil, entretanto, as despesas estão sendo custeadas por uma doação do próprio Decentraland. “O custo não é tão ruim”, destacou Abed. “É uma fração do que custa uma embaixada física.”

No fim, vale ressaltar que o Caribe se tornou um polo de referência quando o assunto é blockchain e criptomoedas. As Bahamas, por exemplo, lançaram a primeira CBDC do mundo (moeda digital emitida por um banco central) em 2020.

Via: Bloomberg

Imagem principal: karnoff/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!