Trajando um wingsuit – um tipo de macacão sintético com asas, que permite a uma pessoa planar ao estilo Batman, Sebastián Álvarez obteve, uma façanha inédita: pela primeira vez na história, um homem voou dentro de um vulcão ativo.

Sebastián Álvarez se prepara para voo dentro do vulcão no Chile
Crédito: Alfred Jürgen Westermeyer/Red Bull Content Pool

O paraquedista chileno, ex-piloto da Força Aérea nacional, saltou de um helicóptero a 11.500 pés (3.505 m) do solo e atingiu, a uma velocidade de aproximadamente 235 km/h, no vulcão Villarica, no Sul do Chile, um dos mais ativos do país.

publicidade

“Tudo começou porque tinha um sonho de voar”, explica Álvarez, que teve o patrocínio da Red Bull para sua campanha. “Desde criança, só queria voar — e, de alguma forma, fiz isso acontecer.”

O herói chileno demorou 40 segundos para alcançar a cratera do vulcão e passou três minutos no ar. “O medo é uma coisa muito positiva”, disse ele, em comunicado, sobre o evento. “Dou bem-vindas a isso porque me faz sentir superativo e 100% focado. Mas você precisa administrar a linha tênue entre o medo e o pânico.”

Sebastián Álvarez se prepara para voo dentro do vulcão no Chile
Crédito: Alfred Jürgen Westermeyer/Red Bull Content Pool

Para voar com wingsuit no vulcão, um ano de preparação

Para consolidar o salto, Álvarez aperfeiçoou uma técnica chamada pelos paraquedistas de flaring: com ela, o chileno pôde atingir uma velocidade suficiente no pulo vertical, abrir o wingsuit inteiro e subir de volta com segurança. A preparação para o evento durou mais de um ano, com Álvarez completando cerca de 500 saltos para aprimorar a técnica.

“Este é de longe o projeto mais radical que já fiz”, disse ele à rede americana CNN. “Especialmente por causa de todos os fatores. Era um vulcão ativo, estava em uma altitude grande, [o clima era] frio, ventoso e então havia um monte de coisas que eu precisava tomar cuidado. ”

É um vulcão ativo, não em erupção: por isso o que se vê é vapor, não lava. Não é difícil entender como seria suicídio tentar voar dentro de uma erupção. Não quer dizer que um homem voar dentro de um vulcão nesse estado deixe de ser extremamente perigoso.

OI Villarrica é conhecido no Chile como “Rucapillán” (“a casa do espírito”, no idioma mapuche). “Vamos falar sério: este é um vulcão e está ativo. Se eu falhar, eu sei o resultado”, disse o chileno, que, no fim das contas, conseguiu concretizar seu objetivo sem maiores problemas. “Se o vulcão não me quiser lá, ele pode fazer o que quiser, então pedi permissão, fui lá e disse obrigado.”

Via CNN

Imagem: Reprodução/YouTube/Red Bull

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!