Em junho deste ano, a espaçonave Juno, da Nasa, teve uma incrível experiência na maior lua do nosso sistema solar. A sonda voou por 1.038 km da superfície de Ganimedes, atingindo uma velocidade de 67 mil km/h. Juno aproveitou para documentar esse encontro, fazendo anotações sobre a camada de gelo, a ionosfera e a magnetosfera do satélite.

No detalhe, Ganimedes: a maior lua de Júpiter. Imagem: randyrafaelcg – Shutterstock

Além das anotações e de fazer imagens do satélite, a espaçonave também “ouviu” os sons de Ganimedes. Com a ajuda de seu instrumento Waves, que estuda as emissões de ondas de rádio e plasma, Juno conseguiu reunir dados sobre as emissões dessa lua (que variam de 10 a 50 kHz). 

publicidade

Leia mais:

Trilha sonora dá a sensação de estar sobrevoando Ganimedes

Um clipe disponibilizado no YouTube oferece uma demonstração auditiva e visual do que o instrumento Waves capturou quando Juno passou voando pela lua gelada. No meio da gravação, há uma mudança repentina nas frequências que, segundo os cientistas, representa o movimento da espaçonave, sinalizando que ela estava viajando de uma região da magnetosfera do satélite para outra.

“Esta trilha sonora é selvagem o suficiente para fazer você se sentir como se estivesse navegando enquanto Juno passa por Ganimedes pela primeira vez em mais de duas décadas”, disse o investigador principal da missão Juno na Nasa, Scott Bolton. “Se você escutar com atenção, poderá ouvir a mudança abrupta para frequências mais altas em torno do ponto médio da gravação, o que representa a entrada em uma região diferente da magnetosfera de Ganimedes”.

Ouvir como soa uma lua localizada a 628 milhões de km de distância é uma experiência fascinante e, para entender melhor os mistérios que Ganimedes guarda, os pesquisadores vêm analisando cuidadosamente os dados capturados pelo Waves. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!