Nesta segunda-feira (3), a Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) anunciou a autorização para a aplicação de uma terceira dose de reforço do imunizante da Pfizer em adolescentes de 12 a 15 anos.  

A FDA também informou que o intervalo de reforço para todas as faixas etárias passará de 6 para 5 meses. Além disso, crianças de 5 a 11 anos que sejam imunocomprometidas também poderão tomar uma terceira dose do imunizante. 

publicidade

Leia também!

De acordo com a agência reguladora dos EUA, foram analisados dados sobre a dose de reforço da Pfizer em adolescentes fornecidos pelo Ministério da Saúde de Israel para comprovar a segurança e eficácia da aplicação.  

A decisão também pode ter sido acelerada pela disseminação da variante Ômicron da Covid-19 que está fazendo países europeus baterem recordes de casos, como a França. Dados preliminares apontam que apenas duas doses do imunizante da Pfizer geram baixas respostas imunológicas, mas uma dose de reforço pode ser a solução para a prevenção da cepa.  

Calendários distintos de imunização provocam migração por vacinas
Covid-19: EUA autorizam reforço da vacina da Pfizer para adolescentes de 12 a 15 anos. Créditos: Shutterstock

Vacinação no Brasil 

O Brasil realiza a aplicação da dose de reforço em maiores de 18 anos em todo o país e uma quarta dose para pacientes imunossuprimidos, no entanto, não há previsão para o reforço vacinal ser adicionado aos adolescentes do país. 

Já no caso de crianças de 5 a 11 anos, ainda não existe uma data para o início da vacinação. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (3) que os imunizantes para aplicação pediátrica devem chegar ao Brasil na segunda quinzena de janeiro.  

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!