Os casos de ‘flurona’ – a coinfecção simultânea causada pela Covid-19 e a influenza – já são comuns em vários países e até no Brasil, só que ainda há poucos dados epidemiológicos. Os sintomas são bem parecidos do coronavírus e gripe, impossibilitando o diagnóstico duplo, pois quando o resultado dá positivo para Covid-19, não é realizado testes para influenza, segundo a explicação de Salmo Raskin, médico geneticista e diretor do Laboratório Genetika, de Curitiba.

Na maioria das vezes, os casos de coinfecção aparecem quando o paciente que apresenta sintomas é submetido a um teste do tipo painel viral em que é analisado uma amostra para vários tipos de vírus ao mesmo tempo. Só que a falta de estudos científicos não possibilita dizer se é possível apresentar um quadro de saúde pior.

publicidade

“Sabemos que os dois vírus podem infectar, inclusive, a mesma célula. Mas como ainda não temos estudos comparando coinfectados com aqueles que foram infectados com apenas um dos dois vírus, não podemos dizer se o prognóstico é melhor ou pior”, explicou Raskin.

Gripes. Imagem: Shutterstock

Leia também!

Além disso, Raskin destacou ainda que o Sars-CoV-2 é um vírus relativamente novo que foi descoberto há dois anos, enquanto o influenza seguiu controlado, por conta que as medidas de proteção são as mesmas da Covid-19: “Os poucos casos de influenza e o surgimento recente do novo coronavírus ainda não possibilitaram grandes estudos sobre a coinfecção dos dois”.

Para ele, “a recombinação não é incomum nos coronavírus (outros, antes do que causa a Covid-19), nem nos vírus da influenza”, porém, é muito raro que eles se juntem. Por isso, a orientação médica é que as pessoas continuem se protegendo, ou seja, usando máscaras, mantendo o distanciamento social e higienizando.

Teste Covid-19
Imagem: CrispyPork/Shutterstock

Fonte: O Globo

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!