Uma nova variante da Covid-19 chamada de IHU pode ter sido descoberta por pesquisadores da França. O Instituto Hospitalar Universitário de Marselha (IHU), que até o momento serve de nomenclatura para a cepa, indica que ela possui mais de 40 mutações, sendo uma delas associada a um aumento do potencial de transmissão.

Até o momento, foram identificados pelo menos 12 casos da variante IHU. Segundo os pesquisadores, os casos estão associados a viagens para Camarões, na África Central. O estudo preliminar, que ainda não passou por revisão por pares, foi publicado no medRxiv. 

publicidade

Variante IHU

No total, foram encontradas 46 mutações, algumas delas em comum com a Ômicron, como na proteína Spike, que pode contribuir para uma possível escapatória parcial para a imunidade concedida pelas vacinas. Além disso, outra mutação, dessa vez em comum com a Alfa, pode ajudar a infecção a se espalhar de forma mais rápida pelo corpo.

eia também!

Contudo, os pesquisadores defendem que ainda é muito cedo para especular como é o comportamento desta cepa em relação a transmissibilidade, gravidade das infecções e proteção das vacinas. Mutações parecidas já foram encontradas nas variantes beta, gama, teta e ômicron. “O conjunto de mutações e a posição filogenética dos genomas obtidos aqui indicam, com base em nossa definição anterior, uma nova variante que denominamos IHU”, disseram os autores do estudo.

O primeiro caso da variante IHU foi de um adulto, que testou positivo para a Covid-19 em meados de novembro de 2021. A cepa ainda não entrou na lista investigada pela OMS e não recebeu um rótulo da organização. Isso deve ocorrer caso a pesquisa confirme os perigos da variante.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!