Astrônomos da Universidade da Califórnia-Berkeley conseguiram algo inédito na história do campo: observar uma estrela momentos antes de sua explosão – ou “supernova” -, usando um telescópio no Havaí (entre vários outros), no que, segundo os especialistas, foi um dos eventos “mais intrigantes” do tipo.

Normalmente, observações de supernovas coletam informações do que acontece após a explosão, então exatamente o que ocorre instantes antes dela era algo que a astronomia moderna ainda não conseguia responder.

publicidade

Leia também

Ilustração mostra uma estrela supergigante vermelha antes de sua explosão
Explosões estelares são difíceis de serem observadas antes de acontecerem, mas time de astrônomos dos EUA conseguiu o feito em novo estudo (Imagem: Alex G Scand/Shutterstock)

Isso, contudo, mudou graças à estrela – classificada como uma supergigante vermelha – localizada na galáxia NGC 5731, posicionada há 120 milhões de anos-luz da Terra.

“Esse é um momento único na nossa compreensão do que fazem as estrelas massivas pouco antes de morrerem”, disse Wynn Jacobson-Galán, pesquisador astronômico de Berkeley e autor primário do novo estudo que relata as descobertas do evento. “Pela primeira vez, conseguimos observar uma supergigante vermelha explodir!”

De acordo com o comunicado assinado por ele, a estrela em questão já vinha sendo observada desde julho de 2020 – bem antes da sua explosão – mas apenas em setembro do mesmo ano foi que ela estourou de fato. Os cientistas coletaram informações do objeto usando uma série de telescópios – além da estrutura do Havaí, o Observatório Espacial Neil Gehrels Swift da NASA também ajudou, iniciando observações pouco depois da supernova.

Juntando todo o material, os cientistas conseguiram determinar detalhes como o comportamento da vizinhança ao redor da estrela e como ela vinha se comportando em seus últimos dias.

Segundo o estudo, nos últimos quatro meses de vida, a estrela começou a emitir muita luz, o que foi a principal novidade: antes do novo estudo, não havia nenhuma indicação de mudança de comportamento em supergigantes vermelhas prestes a explodir, mas o evento SN 2020tlf sugere que há alguns alertas para prestarmos atenção.

“É como observar a contagem regressiva de uma bomba-relógio”, disse Raffaella Margutti, também de Berkeley e co-autora do estudo. “Nós nunca havíamos confirmado uma atividade tão violenta de uma estrela vermelha moribunda, na qual a vimos produzir uma emissão bem luminosa, para depois entrar em colapso e explodir”.

Com base nesses detalhes, os astrônomos esperam revisar as observações de outras supergigantes vermelhas, na expectativa de descobrir mais informações sobre supernovas – preferencialmente, antes de elas ocorrerem.

Os detalhes completos foam publicados no The Astrophysical Journal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!