A vacinação contra a Covid-19 é essencial para a volta à normalidade e fim da pandemia, especialmente a infantil, que recentemente foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde para crianças de 5 a 11 anos de idade.  

E para a vacinação infantil a Anvisa elaborou 17 recomendações que devem ser seguidas nos locais onde a imunização ocorrerá. O primeiro pedido da agência é que as crianças não sejam vacinadas na modalidade drive-thru, como aconteceu com o público adulto.  

Leia também!

Além disso, também foi definido que as crianças devem ser imunizadas em um local diferente dos adultos, de preferência em uma sala reservada e exclusiva para a aplicação das doses contra a Covid-19.  

publicidade

A Anvisa informa que a vacinação infantil contra a Covid-19 deve ser feita fora do calendário vacinal tradicional, não podendo administrar as doses com outras vacinas. É recomendado um intervalo de 15 dias para a aplicação de outro imunizante.  

As crianças vacinadas devem permanecer no local da vacinação por pelo menos 20 minutos para que os profissionais da saúde observem qualquer alteração ou reação iminente. Além disso, os profissionais também devem avisar os pais sobre os possíveis sintomas antes de realizar a aplicação. 

Criança sendo vacinada
Anvisa faz recomendações para início da vacinação infantil. Crédito: Ira Lichi/Shutterstock

As reações comuns são: dor, inchaço e vermelhidão no local da aplicação, e sintomas como fadiga, febre, calafrios, dor de cabeça, dor muscular e dor nas articulações. Em caso de dores no peito, falta de ar ou palpitações, os pais devem procurar atendimento médico.  

Por fim, a Anvisa ressaltou a importância de treinar todos os profissionais da saúde envolvidos na vacinação infantil, a fim de que quaisquer erros humanos sejam evitados no momento da aplicação do imunizante. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!