Tem o hábito de relaxar no fim do dia com um bom drink? Saiba que isso pode estar fazendo com que seu cérebro “encolha”. Um estudo da Universidade da Pensilvânia (EUA), publicado na Nature, aponta que ingerir apenas uma dose diária de álcool pode reduzir o tamanho do cérebro. Segundo os cientistas envolvidos na pesquisa, a situação pode piorar se o hábito envolve quantidades maiores de álcool.

Os pesquisadores acompanharam quase 37 mil adultos e idosos europeus, divididos em dois grupos. O primeiro, dos que relataram tomar de uma a duas doses. E o segundo, de pessoas que consomem mais de quatro doses por dia.

publicidade

Após a análise das imagens cerebrais dos voluntários, a conclusão é de que todos (mesmo os que bebiam pouco) registraram a diminuição de volume do cérebro.

Ação do álcool no cérebro

E quem acha que uma cervejinha ou uma tradicional taça de vinho seriam inofensivas, está enganado. Os cientistas classificaram esse tipo e quantidade de bebida como o equivalente a duas unidades. Uma dose de destilado (como o uísque, por exemplo), foi definida como uma unidade.

publicidade

A partir daí, partiram para a análise das imagens cerebrais. Os participantes que bebiam uma ou duas unidades diárias já demonstravam algumas alterações na estrutura do cérebro.

Em casos de quem bebia três unidades diárias, foi detectada uma diminuição mais significativa na massa branca e cinzenta, com a percepção de que o órgão era 3,5 anos mais velho.

Já para quem relatou beber mais de quatro unidades por dia, o problema é ainda mais grave: o cérebro demonstrou envelhecer mais de 10 anos.

copo com cerveja
Pesquisa relacionou o impacto do consumo diário de álcool no cérebro. Imagem: MabelAmber (Pixabay)

Leia mais:

publicidade

Calma, nem tudo está perdido para o seu cérebro

Se você toma uma dose de bebida alcoólica todos os dias, não se desespere. O estudo não é conclusivo por ter se baseado em pessoas de uma determinada faixa etária e de uma região específica.

Vale lembrar também que os cientistas se concentraram nos relatos de ingestão de álcool feita apenas ao longo de um ano. Não foi considerado o consumo anterior, o que poderia modificar os resultados consideravelmente.

publicidade

De qualquer forma, a pesquisa traz uma pista para futuros estudos sobre o impacto do consumo de álcool no cérebro ao longo do tempo.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!