Nesta segunda-feira (28), em entrevista ao programa Voz do Brasil, o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, informou que mais de 1,5 milhão de pessoas já solicitaram o novo microcrédito anunciado pelo banco. As ofertas variam entre R$ 300 e R$ 1 mil reais para pessoas físicas e R$ 1,5 mil a R$ 3 mil para microempreendedores individuais (MEIs).

A linha pode ser solicitada pelo aplicativo ou pelas agências da Caixa. Para realizar a operação, basta o usuário do Caixa Tem atualizar a versão do programa por questões de segurança, de acordo com Guimarães. A solicitação de crédito está em destaque, na primeira tela do Caixa Tem.

publicidade
Real,dinheiro, moeda
O empréstimo é de até R$ 1 mil. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

“Estamos impressionados. Esperamos 5 milhões de pessoas, mas nessa velocidade que tivemos hoje, em alguns dias já teremos um número superior. Lembrando que há necessidade de análise de crédito de 10 dias”, disse o presidente. Ele esclareceu que mesmo as pessoas com cadastro negativado em órgãos de proteção ao crédito podem solicitar a linha especial. 

Além disso, Guimarães também falou sobre novas medidas de crédito imobiliário para pessoas com deficiência. Isso porque a Caixa oferece financiamentos de 4,5% ao ano com taxa referencial (TR) e renda mínima de R$ 3 mil ao mês. O crédito pode ser utilizado para reformas e remodelações de imóveis já adquiridos, desde que seja no valor máximo de R$ 50 mil.

Leia mais:

Caixa lança crédito Caixa Tem SIM Digital

Nesta mesma segunda, a Caixa divulgou a modalidade de crédito Caixa Tem SIM Digital, voltado a empreendedores, incluindo a categoria de microempreendedor individual (MEI).A solicitação precisa ser feita por meio do aplicativo Caixa Tem e a equipe do banco tem até 10 dias para avaliar a requisição.

É possível fazer uma simulação do financiamento para saber quanto custarão as parcelas e todos os bancos podem realizar a operação. Ademais, as pessoas que recebem o Auxílio Brasil também poderão tomar empréstimos tendo o benefício como garantia, mas essa alternativa precisa de detalhamento das regras pelo Ministério da Cidadania.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!