Uma reportagem do jornal The Washington Post publicada na última quarta-feira (30) diz que o Facebook contratou uma empresa para espalhar boatos sobre o TikTok, entre eles o desafio do “bata em um professor”, para tentar prejudicar o desempenho da plataforma rival e recuperar usuários.

De acordo com e-mails divulgados pela jornal, a Meta, empresa mãe do Facebook, contratou a empresa Targeted Victory, conhecida por ter envolvimento com o partido Republicano dos Estados Unidos, para espalhar boatos sobre a rival e criar resistências para que pais deixem seus filhos jovens utilizarem a plataforma. A intenção é mostrar o TikTok como uma rede social perigosa.

publicidade

Em um dos e-mails, a Targted Victory explica os planos para os funcionários. “Passem a mensagem de que, embora a Meta seja o saco de pancadas atual, o TikTok é a verdadeira ameaça, especialmente como um aplicativo de propriedade estrangeira que é o número um em compartilhar dados de jovens e adolescentes que o utilizam”, diz a mensagem.

Desafio do “bata em um professor”

O jornal ainda afirma que, entre os boatos espalhados pela empresa, está o desafio do “bata em um professor”, que foi divulgado em jornais e TVs dos EUA, onde alunos supostamente gravavam agressões contra os docentes e postavam na rede social. A matéria diz que o desafio nunca foi real e a empresa contratava espalhava os boatos e até criava manchetes falsas sobre o TikTok.

publicidade

Leia também!

“O sonho seria obter histórias com manchetes como ‘Das danças ao perigo: como o TikTok se tornou o espaço de mídia social mais prejudicial para as crianças’”, disse um funcionário da Target em mais um e-mail sobre a campanha contra o TikTok.

publicidade

Andy Stone, porta-voz da Meta, disse que plataformas como o TikTok devem enfrentar esse tipo de resistência. “Acreditamos que todas as plataformas, incluindo o TikTok, devem enfrentar um nível de escrutínio consistente com seu crescente sucesso”, disse. Já o TikTok, em contato com a Variety, informou que está “profundamente preocupado” com a reportagem e o aumento das manchetes contra a plataforma chinesa.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!