No fim de fevereiro, conforme noticiado pelo Olhar Digital, o ministro da Transformação Digital e vice-primeiro-ministro da Ucrânia, Mykhailo Fedorov, solicitou ao fundador e CEO da SpaceX, Elon Musk, que disponibilizasse os serviços de internet Starlink ao país, em meio à invasão russa. De imediato, o bilionário se comprometeu em atendê-lo, enviando os terminais em menos de dois dias.

Primeiro lote de terminais Starlink chegando à Ucrânia em 28 de fevereiro de 2022. Imagem: Mykhailo Fedorov via Twitter

Na ocasião, a SpaceX contou com o apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) para viablizar o transporte dos equipamentos. 

publicidade

De acordo com um comunicado emitido pela USAID, a parceria público-privada acaba de concluir o envio de um total de 5 mil terminais de internet banda larga da Starlink para a Ucrânia.

Segundo a USAID, os terminais vão fornecer ao país invadido pela Rússia uma “conectividade de dados ilimitada e não furada”, mantendo as comunicações abertas para o governo e os cidadãos, “mesmo que a agressão brutal de Putin corte as conexões de infraestrutura de comunicação celular ou de fibra óptica” do país.

Leia mais:

Na quarta-feira (6), o repórter espacial Joey Roleta publicou no Twitter que a maioria dos terminais – 3.667 deles – bem como o serviço de internet associado foram doados diretamente pela SpaceX a um custo de “cerca de US$ 10 milhões”, com a USAID comprando os 1.333 terminais restantes. 

Em outro tweet, Roleta sugeriu que a França e a Polônia haviam feito contribuições para os embarques da Starlink para a Ucrânia, citando uma conversa anterior com o presidente e diretor de operações da SpaceX, Gwynne Shotwell. No entanto, o anúncio da USAID refere-se apenas à parceria americana.

O programa Starlink da SpaceX foi projetado para fornecer serviços de internet acessíveis e de baixa latência para locais remotos em todo o mundo por meio de sua constelação cada vez mais crescente de satélites em órbita baixa da Terra.

Essa não é a primeira “missão humanitária” da SpaceX. A empresa aeroespacial também enviou terminais Starlink para Tonga, depois que uma erupção vulcânica subaquática interrompeu os serviços de comunicação lá em janeiro deste ano.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!