A criação de zonas tributárias especiais foi citada nesta quarta-feira (27) pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, durante um seminário sobre a cadeia internacional de semicondutores. Em meio a escassez global de componentes eletrônicos, a ideia é atrair grandes fabricantes do setor para atuar no Brasil. 

O incentivo, segundo França, se daria em determinadas áreas isentas de impostos chamadas de zonas de processamento de exportações, ou ZPE.

publicidade

“A criação de um ambiente desse tipo no Brasil não apenas reforçaria a indústria já existente no país, mas também atrairia novos investidores para o mercado nacional no momento em que as empresas líderes no mercado mundial buscam diversificar e descentralizar as suas produções”, disse o ministro.

Zona de exportação especial para semicondutores pode ser criada no Brasil
Em meio a escassez global de eletrônicos, a ideia é atrair grandes fabricantes para o Brasil. Imagem: Syafiq Adnan/Shutterstock

Segundo a Agência Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi um dos que mostrou entusiasmo com a ideia, já que a chamada crise dos chips e o gargalo na cadeia de suprimentos afeta praticamente todos os setores da indústria.

O problema afeta diretamente a produção nacional de carros, por exemplo, um dos segmentos mais abalados pela falta de chips no mercado.

Outra área impactada é a de telecomunicações, cuja tecnologia 5G também depende de semicondutores para funcionar, lembrou o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que defendeu a parceria com grandes empresas internacionais para aumentar a produção nacional.

Leia mais:

Produção nacional de chips é baixa

Atualmente, o Brasil consegue produzir apenas 10% de toda a demanda nacional por chips. São 20 empresas que atuam no setor, que juntas faturaram R$ 4,5 bilhões no ano passado. Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores (Abisemi).

“Temos que encarar [a falta de semicondutores] não apenas como uma ameaça, mas como uma janela de oportunidade que se abre para o nosso país”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim.

Para aumentar a produção, uma das iniciativas do Congresso foi prorrogar até 2026 os incentivos de crédito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis).

Via: Agência Brasil

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!