Quem olha para a imagem a seguir, deduz que se trata do registro de um cometa. No entanto, logo abaixo do aglomerado estelar de Plêiades está, na verdade, um planeta: Mercúrio.

Longas exposições do mundo mais próximo do nosso Sol podem mostrar algo de conhecimento dos cientistas, mas que poucas pessoas sabem: ele tem uma cauda. 

publicidade
Captura feita pelo astrofotógrafo Sebastian Voltmer, a partir de La Palma, ilha da Espanha. Imagem: Sebastian Voltmer

Segundo a NASA, a fina atmosfera de Mercúrio é composta principalmente de oxigênio (O2), hidrogênio (H2), hélio (He), potássio (K) e pequenas partículas de sódio (Na), que brilham quando excitadas pela luz do Sol. A luz solar também libera e separa esses átomos provenientes da superfície do planeta.

Leia mais:

publicidade

O menor planeta do sistema solar e sua cauda de sódio são visíveis em nessa imagem do céu profundo tirada na semana passada de La Palma, na Espanha, utilizando um filtro que destaca a luz amarela intensa emitida pelo sódio. 

Prevista na década de 1980, a cauda de Mercúrio foi capturada pela primeira vez em 2001, e muitos de seus detalhes foram revelados em múltiplas observações pela nave robótica MESSENGER, da NASA, que orbitou o planeta entre 2011 e 2015.

publicidade

Mercúrio pode não ter os estonteantes anéis de Saturno (também identificados, de forma mais discreta, em Júpiter, Urano e Netuno) nem uma mísera lua para chamar de sua. Mas, com sua linda cauda de sódio e outras particularidades, ele jamais pode ser considerado um mundinho sem graça.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!