Os carros elétricos fabricados na China ocupam a segunda posição na lista dos mais vendidos na Europa, segundo uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (17) pelo InsideEVs. De acordo com o levantamento, os modelos produzidos no país representaram 15% dos BEVs que circulam no Velho Mundo, ficando apenas atrás da Alemanha.

O salto dos produtos asiáticos foi significativo. Em um período de três anos (2019 a 2022), a porcentagem de elétricos chineses na Europa pulou de 0,5% para 14,7%. Enquanto isso, os modelos alemães subiram de 17,3% para 19,7%, ao mesmo tempo que os Estados Unidos, antes líderes no ranking, já nem aparece entre os três mais bem colocados, e a França caiu de 21,4% em 2020 para 11,4% de participação em 2021.

publicidade
Tabela dos carros elétricos da China na Europa
Origem dos carros elétricos vendidos na Europa, de 2019 a 2022 (InsideEVs/Reprodução)

Atualmente, em torno de 1,2 milhão de carros elétricos de passeio transitam na Europa — e deste total, mais de 175 mil foram fabricados na China. Nem todos, no entanto, são vendidos sob uma marca chinesa, já que uma boa parte se trata de montadoras do Ocidente, como BMW e Tesla, vendendo carros produzidos no país.

Em 2019, apenas a britânica MG, propriedade do grupo chinês Saic, vendeu 1.738 elétricos fabricados no maior país da Ásia. No ano seguinte, mesmo na pior fase da pandemia de Covid-19 na Europa, o volume da MG subiu para 13 mil — uma alta de mais de 600%. Isso coincidiu também com a estreia da Polestar (propriedade da chinesa Geely, que hoje também é dona da Volvo) no continente, que aumentou o número de modelos vendidos para 25.507 em 2020.

Tabela dos carros elétricos da China na Europa
Carros da China mais vendidos na Europa, em 2021 (InsideEVs/Reprodução)

Lacuna qualitativa para Japão/Coreia e o Ocidente quase não existe

O crescimento exponencial da fabricação na China se deve à capacidade do país ter diminuído sua diferença de qualidade para os países do Ocidente e os vizinhos Japão e Coreia do Sul. Hoje, as principais montadoras do mundo, como Volkswagen, Mercedes-Benz e Tesla, possuem fábricas no país. A globalização também fez com que o processo de fabricação tenha sido padronizado no mundo — um Polestar 2 produzido em Zhejiang não é diferente de um produzido em Estocolmo.

O preconceito em torno de “coisas produzidas na China”, conforme a década de 2010 transcorreu e os carros chineses ganharam terreno, foi se esvaziando a ponto de torná-lo quase um espelho de uma outra época.

Isso deve ser apenas o início. Ao contrário do mercado de carros a combustão, em que o Ocidente ainda possui uma vantagem, a China se encontra mais bem posicionada para tomar o setor dos elétricos, a ponto de o próprio Ministério de Indústria e Tecnologia se preocupar com o nível de competição mercadológica no país. Em breve, marcas como Volkswagen, Mercedes-Benz e Honda também devem começar a vender seus carros elétricos fabricados na China e o número de modelos locais circulando não apenas pela Europa como no mundo deve aumentar ainda mais.

Crédito da imagem principal: Polestar/Divulgação

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!