Tudo saiu como planejado no lançamento da missão Transporter-5, da SpaceX, anunciada mais cedo pelo Olhar Digital. Na tarde desta quarta-feira (25), às 15h35 (pelo horário de Brasília), um foguete Falcon 9 decolou com 59 satélites a bordo, entre eles, dois fabricados pela startup finlandesa Iceye sob encomenda para a Força Aérea Brasileira.

Satélites da Força Aérea Brasileira fabricados pela empresa finlandesa Iceye foram lançados em um foguete Falcon 9, da SpaceX, nesta quarta-feira (25). Imagem: Divulgação-Iceye

Pouco mais de oito minutos após ser lançado de uma das plataformas do Centro Espacial Kennedy, da NASA, em Cabo Canaveral, na Flórida, o primeiro estágio do foguete voltou à Terra para um pouso vertical na Zona de Pouso 1. De acordo com um comunicado da SpaceX, todas cargas foram implantadas em órbita cerca de 75 minutos após a decolagem.

O lançamento dos materiais brasileiros foi contratado pela Iceye, e não pela FAB. Sendo assim, a operação não tem qualquer relação com a recente visita de Elon Musk ao Brasil, segundo informou o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior, na segunda-feira (23), durante o evento “Café da Manhã com o Comandante”.

Segundo o militar, o contrato entre a FAB e a Iceye foi assinado em 2019 como parte do Projeto Lessonia. Uma vez em órbita, os satélites ainda passarão por alguns ajustes, tornando-se operacionais em novembro. Eles serão controlados pelo Centro de Operações Espaciais (COPE) da FAB, sediado em Brasília.

publicidade
Nesta imagem, é possível ver o primeiro estágio do Falcon 9 retornando para uma aterrissagem vertical. (Crédito da imagem: SpaceX)

Além dos satélites da FAB, faziam parte do lote três espaçonaves da canadense GHGSat, responsáveis por detectar emissões de metano. Também foram lançados dois satélites CubeSat Proximity Operations Demonstration (CPOD), da empresa norte-americana Terran Orbital Corporation.

“A missão de demonstração validará as tecnologias necessárias para apoiar o encontro, as operações de proximidade, o acoplamento (RPOD), a manutenção e o voo de formação utilizando um par de CubeSats idênticos de 3 unidades (3U) – aproveitando seus custos inerentemente menores de veículo e lançamento”, declarou a empresa em um comunicado pré-lançamento.

Leia mais:

Satélites brasileiros lançados pela SpaceX vão monitorar o tráfico de drogas

Chamados Carcará I e Carcará II, os satélites de pequeno porte da FAB têm um metro cúbico e pesam 100 kg cada. Equipados com cinco painéis solares, eles têm 300W de potência e usam a tecnologia SAR (Radar de Abertura Sintética) para obter imagens de alta resolução.

Tais imagens, segundo a FAB, vão ser usadas para combater o tráfico de drogas e a mineração ilegal, observar queimadas, atualizar dados cartográficos, determinar a navegabilidade dos rios, fazer o monitoramento de desastres naturais e apoiar as operações de vigilânia e controle de fronteiras. 

Como o próprio nome sugere, a Transporter-5 foi a quinta missão da SpaceX dedicada ao transporte de pequenos satélites. A primeira, Transporter-1, lançou 143 satélites para órbita em janeiro de 2021 — um recorde para o maior número de cargas em uma única missão.

Esse foi o 22º lançamento de um foguete Falcon 9 neste ano e o 155º na contagem geral da empresa. A missão também marcará o oitavo voo deste propulsor, de acordo com o site Space.com.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!