Um levantamento realizado pela Kantar Ibope Media traz o Brasil como o sexto país com a maior média diária de tempo de jogo no mundo. Em detalhes, 67% dos brasileiros jogam videogame, sendo que 42% o fazem todos os dias da semana.

Nesse sentido, o público gamer gasta 2h30min diariamente com a atividade, segundo dados da Kantar. O conteúdo da Kantar ainda aponta que os gamers brasileiros usam diferentes dispositivos para jogar, com os smartphones tendo 83% da preferência. Em seguida, os consoles têm 47% e o computador é o preferido de 44% dos gamers do Brasil.

publicidade

Leia também:

54% dos jogadores brasileiros afirmam que é melhor jogar com outras pessoas. “Prova disso é que 62% dos gamers gostam de participar de jogos multiplayer online com desconhecidos e 51% aproveitam a modalidade com amigos”, aponta a nota da Kantar.

publicidade

A partir disso, é importante ter em mente a necessidade de cuidados junto à segurança, em uma rotina de atividades online sujeitas a uma gama de ameaças virtuais. Quatro formas de ação nocivas dos hackers para invasão de contas dos gamers são apontadas por Daniel Markuson, especialista em cibersegurança e privacidade digital da NordVPN.

Senhas

A primeira vulnerabilidade explorada é a fraqueza na configuração das senhas. Os hackers partem apenas do nome de usuário do jogador ou do e-mail, para então “buscarem” a senha usada. Os criminosos fazem uso de um bot “que tentará todas as senhas em seu banco de dados até que tenham sucesso ou até que passem por toda a lista sem sorte”.

publicidade

Explorando vazamentos

Em casos de vazamento, o especialista diz que não há muito o que fazer, já que o jogador está submetido à segurança cibernética da empresa que armazena seus dados. “Se eles mantiverem suas senhas não criptografadas, é muito provável que acabem na dark web e nas mãos de um hacker”, aponta Markuson.

Preenchimento de credenciais

“Se você reutilizar senhas em várias contas, também poderá ficar vulnerável a ataques de preenchimento de credenciais.” Aqui, o especialista lembra que os hackers vão tentar reutilizar os mesmos detalhes de login e senha que o gamer usou em outras plataformas (e que tiveram seus bancos de dados vazados).

publicidade

Script entre sites

Os hackers também usam um ataque chamado cross-site scripting (às vezes escritos como XSS). Ou seja, eles injetam scripts maliciosos no conteúdo do site alvo, sendo colocados junto ao conteúdo dinâmico entregue ao navegador da vítima. “Os hackers usam essa vulnerabilidade para injetar scripts na interface do usuário do site, que podem ser usados para roubar as informações inseridas nesse site”, diz Markuson.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Via Forbes