O médico Victor Hugo Heckert, residente no hospital de Barão de Cotegipe, em Erechim, no Rio Grande do Sul, descobriu nesta quinta-feira, 28, que seria seu último dia de trabalho por meio de um colega que enviou uma mensagem encaminhada para seu WhatsApp.

Victor tirou um print da conversa no aplicativo e publicou nas redes sociais. A imagem viralizou e ultrapassou 93 mil curtidas até o momento.

publicidade
print WhatsApp demissão
Crédito: Victor Hugo Heckert/ Reprodução/ WhatsApp

Em entrevista exclusiva para o G1, Heckert conta que considerou sua demissão antiprofissional e antiética. “Eu fiquei revoltado pela forma que aconteceu, e seis dias antes do mês começar. É uma falta de consideração com qualquer profissional, não só os médicos”, critica.

O médico afirmou que por volta das 14 horas de terça-feira, 26, o funcionário que o contratou anteriormente enviou a mensagem, e notou a marca de “encaminhado” acima dela, como é de costume vir avisado no WhatsApp quando isso acontece. Ao perguntar se ele tinha entendido certo que seria demitido – pois ficou na dúvida se a mensagem foi enviada para a pessoa certa ou não – o colega de trabalho confirmou a informação.

Leia mais:

Na mensagem encaminhada estava escrito se Vitor sabia que quinta 28, seria seu último dia de trabalho. De acordo com a entrevista ao G1, ele disse que não e que ficou surpreso, pois tudo estar normal.

Segundo o médico, seu contrato de trabalho exige no mínimo um aviso-prévio de 30 dias, e não foi o que aconteceu. Ao continuar a conversa com o colega, Vitor também descobriu que outro médico já tinha sido contratado e que iria começar assim que ele saísse do posto. Foi dito a ele: “É isso, colocamos outro médico no lugar, e a partir de segunda tu tá fora”.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!