Uma pesquisa realizada pela plataforma Cupom Válido, com dados da Statista e da HootSuite, revelou que o Brasil é o país mais influenciado do mundo. Cerca de 43% da população afirma já ter feito alguma compra por conta da publicidade ou ação realizada por digital influencers

Cada vez mais, as marcas procuram por influenciadores para anunciar seus produtos ou serviços. O estudo mostra que essa tendência faz sentido, tendo em vista que os influences atingem cerca de 150 milhões de pessoas no país, através de diversas plataformas digitais, como YouYube, WhatsApp, Facebook, Instagram e Twitter. 

publicidade

Leia mais:

A lógica da população que adquire um produto sob influência é porque o consumidor se identifica de alguma maneira com determinado influencer. Os comentários do influenciador em suas redes sociais despertam o interesse dos seguidores em conhecer o produto que está sendo promovido. 

“A empresa credibiliza o seu produto, porém os influenciadores oferecem aquele ‘empurrão final’, pois o cliente se identifica com essa personalidade”, explica Silas Colombo, fundador e CCO da MOTIM, aceleradora de reputação e gestora de posicionamento.

compras online, shopee, mercado livre, aliexpress
Brasil é o país influenciável em decisão de compra, na sequência estão China e Índia. Imagem: 13_Phunkod/Shutterstock

Estratégia

A escolha de influenciadores para impulsionar vendas não é algo que acontece do dia para a noite. Para uma campanha assertiva, as marcas precisam avaliar se o público a ser alcançado com o influencer se relaciona com o público-alvo daquele produto ou serviço. 

“As companhias fazem uma curadoria sobre os temas tratados, sem tirar o comportamento do criador de conteúdo nas redes sociais e, ao mesmo tempo, agregando o valor de marca no comentário dele”, diz Ricardo Tarza, sócio e diretor de inovação e criatividade na DreamONE

Maurício Fernandes, diretor de operações da 270B no Brasil, uma das maiores agências americanas de experiências digitais com filial no Brasil, destaca alguns aspectos fundamentais a serem levados por agências. “Inovação, tecnologia e, principalmente, análise de dados são partes obrigatórias no desenvolvimento de uma estratégia assertiva, engajadora e verdadeira.”

Gláucio Amaral, diretor executivo na Agência Ecco, considera que as empresas brasileiras têm escolhido anunciar com influencers devido ao ótimo custo-benefício. ”Há a possibilidade de mensurar o retorno da ação e também a liberdade criativa para desenvolver o conceito do produto”, diz Amaral.

Imagem: Chaay_Tee/ Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!