A Meta registrou sua primeira queda de receita trimestral, causada pela desaceleração nas vendas por anúncios digitais. De abril a junho de 2022, a empresa sofreu baixa de 1% em sua receita na comparação com o segundo trimestre do ano passado.

Apesar da porcentagem ser baixa, essa foi a primeira vez em sua história que a empresa dona do Facebook e Instagram registrou queda em sua receita trimestral. 

Leia mais:

No segundo trimestre deste ano, a empresa registrou receita de US$28,8 milhões. De acordo com a Refinitiv, a projeção pela bolsa de Wall Street era de que a empresa atingisse US$ 28,9 milhões. Em 2021, o valor em receita registrado foi de US$ 29,1 milhões.

publicidade

Analistas avaliam que a empresa atingiu seu pico de crescimento após anos de com a receita em alta.

meta facebook tokens
Crise no setor de anúncios digitais foi o principal fator que impactou a queda de receita. Imagem: Rokas Tenys/Shutterstock

A maior parte da receita da Meta vem através das vendas de anúncios digitais. Com a forte concorrência entre TikTok e Apple no setor de publicidade online, empresas concorrentes como Snap, Twitter e a própria Meta têm passado por desaceleração econômica. 

Para lidar com esse crescimento baixo, a Meta divulgou recentemente que irá diminuir o quadro de funcionários em até 10%. Anterior a isso, a empresa passou a orientar que gerentes de engenharia identificassem profissionais com baixo desempenho para demiti-los.

Google também tem baixa no crescimento de receita

A Alphabet, empresa mãe do Google, divulgou o relatório trimestral com o crescimento de vendas mais lento em dois anos. Essa redução acontece à medida em que o mercado de anúncios sofre mais pressão. Mesmo assim, a publicidade online continua como foco para os investidores.

O segundo trimestre de 2022 teve uma receita de US$ 69,69 bilhões (ou R$ 372,4 bilhões) para a Alphabet, aponta o relatório divulgado nesta terça-feira (26). O aumento foi de 13% com relação ao mesmo período do ano passado. A taxa de crescimento é a mais lenta desde o segundo trimestre de 2020, quando a pandemia da Covid-19 reduziu a demanda de anúncios de vários setores.

Imagem: rafapress/ Shutterstock

Via: Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!