Mais uma empresa de tecnologia vai desacelerar a contratação de novos funcionários. A bola da vez é o Google, que vai reduzir a quantidade de novos trabalhadores neste segundo semestre. A decisão foi confirmada por Sundar Pichai, presidente-executivo da Alphabet, empresa mãe da gigante das buscas.

Os atuais funcionários da companhia receberam um e-mail de Pichai nesta terça-feira (12). Na mensagem, o CEO acrescentou, além de anunciar a redução de ritmo nas contratações, que o Google vai continuar “apoiando nossas oportunidades mais importantes”.

publicidade

Leia mais:

Entre abril e junho, segundo trimestre deste ano, a companhia contratou 10 mil novos trabalhadores. Aqueles com quem o Google já se comprometeu neste terceiro trimestre também serão adicionados ao quadro de funcionários. No total, em dados do final de março, a Alphabet soma 163.906 funcionários, 17% a mais que em 2021. Como a redução não significa o fim das contratações, o Google ainda busca adicionar engenheiros e técnicos até o fim de 2022.

Imagem de Sundar Pichai, CEO do Google
Sundar Pichai enviou um e-mail aos funcionários do Google anunciando a desaceleração nas contratações. Imagem: Josh Edelson/AFP

“Avançando, precisamos ser mais empreendedores, trabalhando com maior urgência, foco mais nítido e mais fome do que mostramos nos dias mais ensolarados. Em alguns casos, isso significa consolidar onde os investimentos se sobrepõem e simplificar os processos. Em outros casos, isso significa pausar a implantação e redistribuir recursos para áreas de maior prioridade”, emendou o CEO.

Além do Google, grandes e pequenas empresas de tecnologia reduziram a expansão. Entre elas, a Microsoft, que anunciou também na terça-feira que cortaria parte da equipe. A companhia usa como justificativa ajustes do início de ano fiscal. A Meta também é outra a seguir o caminho.

Via: The Wall Street Journal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!