No meio do processo frustrante de lucros do último trimestre da Match Group, a empresa fez um anúncio sobre estar realocando os desejos sobre a data de adentrar ao multiverso com o Tinder e os planos para oferecer um moeda no app, a Tinder Coins.

De acordo com o anúncio feito por Bernard Kim, nomeado CEO da Match Group em junho, outra mudança dentro da plataforma é a saída da primeira CEO mulher do Tinder, Renate Nyborg, que começou no cargo em setembro de 2021.

publicidade

Leia mais:

No ano passado, o Tinder comprou uma empresa focada em vídeos, inteligência artificial e tecnologia de realidade aumentada, a Hyperconnect. Com a junção das empresas, porém, a CEO pediu para que a equipe se concentrasse em outras coisas, e que mesmo se inteirando sobre o assunto, pediu para que não investissem no metaverso ainda.

O que é e como funciona o metaverso?
Imagem: Gorodenkoff / Shutterstock

Agora, Kim solicitou que a Hyperconnect diminuísse a escala. “Dada a situação incerta dos contornos fiscais do metaverso e se funcionará ou não, assim como qualquer outro espaço operacional mais trabalhoso, instruí a equipe Hyperconnect a continuar, mas não investir forte no metaverso por enquanto”, disse o CEO.

“Vamos continuar avaliando o espaço com cuidado, e vamos considerar avançar no período mais adequado, quanto tivermos mais clareza sobre a oportunidade geral e nos sentir dentro de um serviço bem posicionado para ter sucesso”, finalizou.

Há más notícias em relação a Tinder Coins. Kim afirmou que estão repensando a ideia, que era distribuir moedas de recompensa para os usuários mais ativos com perfis atualizados. Essas moedas seriam aceitas como forma de pagamento no Tinder Premium, como o Super Likes.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!