Antes da Missão Clipper, que será realizada pela NASA em 2024, os cientistas buscam pistas aqui na Terra de quais serão os possíveis desafios encontrados na exploração da Europa, uma das luas de Júpiter. Estudos prévios sugeriram que a temperatura, a pressão e a salinidade do oceano nessa lua são semelhantes às encontradas nas plataformas de gelo na Antártida.

Até o momento, os pesquisadores sabem que o astro é coberto por uma camada de gelo. Entretanto, há dois tipos de gelo presentes na Terra que podem se aproximar do tipo encontrado na Europa.

publicidade

Leia mais:

Um estudo foi realizado para entender como a água salgada se solidifica, e assim ajudar os instrumentos da agência espacial norte-americana na missão, que chegará à uma das quatro maiores luas de Júpiter, em 2030.

publicidade

Lua Europa de Júpiter

Um desses gelos observados, conhecido como frazil, forma-se em colunas de água super refrigeradas e flutua em direção à superfície; enquanto o outro tipo congela em cima da plataforma de gelo formada. O frazil detém apenas 0,1% da salinidade do oceano e, de acordo com o estudo, pode ser comum na lua Europa, pois a camada de gelo pode se encaixar em magnitudes mais puras do que as estimativas anteriores.

Um comunicado emitido pela principal autora e pesquisadora do Instituto de Geofísica da Universidade do Texas, Natalie Wolfenbarger, declarou que tem interesse na salinidade e composição do oceano, já que esses fatores determinarão a potencial habitabilidade da lua ou mesmo do tipo de vida que poderia viver por lá.

publicidade

A lua Europa tem aproximadamente o tamanho da lua da Terra e, embora tenha um manto rochoso muito parecido com o do nosso planeta, os cientistas acreditam que o manto do astro está cercado por um oceano oculto de água e gelo entre 80 e 170 quilômetros de espessura.

Via: Space.com

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!