A Justiça da Rússia decidiu multar, nesta terça-feira (16), o Telegram. Foram aplicadas duas multas que somam cerca de 11 milhões de rublos, aproximadamente R$ 905 mil, pelo aplicativo de mensagens não ter apagado conteúdos referentes à guerra na Ucrânia

Uma das decisões aponta que o Telegram se recusou a banir um canal que publicava instruções para sabotar linhas ferroviárias na Rússia e em Belarus, visando criar um método de distração e impedir o avanço militar na Ucrânia. 

publicidade

Leia também!

A segunda decisão, proferida pelo mesmo tribunal, relata que a rede social de Pavel Durov manteve canais que espalham “informações falsas” sobre as baixas das forças armadas russas e que convocam manifestações contra o governo de Vladimir Putin. 

publicidade

O juizado responsável ainda disse que o mensageiro se negou a deletar um bot que tinha como intuito espalhar informações e dados pessoais de militares russos que participaram da “operação militar especial na Ucrânia”.

Nesta semana, a Rússia também aplicou multa na Twitch, o streaming da Amazon que ficou famoso pelas transmissões ao vivo de jogos. Segundo o processo, a plataforma exibiu um vídeo de 31 segundos que continha informações falsas sobre supostos crimes de guerra em Bucha, na Ucrânia.

publicidade
Imagem-conceito relativa à nota sobre bloqueio da Rússia à internet na Ucrânia
Imagem: Tunasalmon/Shutterstock

As autoridades da Ucrânia e diversos lugares do mundo acusam a Rússia de ter cometido crimes de guerra em Bucha. Vídeos da cidade mostraram diversos corpos de civis espalhados pelas ruas.  A Ucrânia aponta a Rússia como responsável pelo massacre, enquanto o país de Vladimir Putin relata que os serviços especiais ucranianos são os verdadeiros culpados e que os vídeos são uma “encenação”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!