O telescópio James Webb fotografou um “quase perfeito” anel de Einstein, cuja luz viajou cerca de 12 bilhões de anos-luz para nos alcançar. A fotografia foi tirada na galáxia chamada SPT-S J041839-4751.8.

A imagem foi postada no Reddit pelo usuário Spaceguy44, estudante de astronomia. O usuário explica, na postagem, que, se não fosse por tal anel de Einstein, não seria possível ver a galáxia em questão. “E, com a presença dos anéis de Einstein, além de serem belos, nos permite estudar galáxias praticamente impossíveis de se ver.”

publicidade

Leia mais:

publicidade
Anel de Einstein em SPT-S J041839-4751.8 aproximado (Imagem: JWST/MAST; Spaceguy44/Reddit)

O que é um anel de Einstein

Um anel de Einstein ocorre quando uma galáxia distante foi ampliada e envolvida em um anel quase perfeito por uma galáxia massiva à sua frente. Esse processo é conhecido como lente gravitacional e é um efeito previsto por Einstein – daí o nome.

O efeito só acontece quando a galáxia distante, a galáxia ampliada mais próxima e o observador (neste caso, o telescópio espacial Webb) se alinham.

publicidade

Com informações de Science Alert

Imagem destacada: JWST/MAST; Spaceguy44/Reddit

publicidade

SpaceX bate recorde de carga mais pesada transportada por um foguete Falcon 9

Na madrugada do último domingo (28), a SpaceX lançou em órbita um lote de 54 satélites do serviço de Internet banda larga Starlink, pousando em seguida o propulsor reutilizável do foguete Falcon 9 modelo B1069 em uma de suas balsas-drone que estava estrategicamente posicionada no Oceano Atlântico.

O veículo decolou da Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, à 0h41 (pelo horário de Brasília), com um atraso de 80 minutos, em razão do mau tempo.

egundo um comunicado da SpaceX, essa foi a segunda vez que esse propulsor foi utilizado. Ele também ajudou a lançar uma cápsula robótica de carga Dragon em direção à Estação Espacial Internacional (ISS) em dezembro passado.

Ainda de acordo com a empresa, esse primeiro estágio havia passado por reparos em razão do pouso mal sucedido depois de sua primeira missão, e não era certeza se ele voltaria a voar. 

No entanto, ele não só voltou aos ares, como fez isso batendo um recorde de peso de carga para um foguete Falcon 9, ao lançar 16,7 toneladas métricas para a Órbita Terrestre Baixa (LEO). O recorde anterior era de 16,25 toneladas, espalhadas por 53 satélites Starlink V1.5, em março deste ano.

Segundo o site Teslarati, uma melhoria de cerca de 3% está longe de ser um grande avanço para a SpaceX, empresa reconhecida por reiterados aperfeiçoamentos cada vez mais significativos. 

De qualquer forma, vale destacar que o registro acontece no momento em que o Falcon 9 se aproxima de seu 150º lançamento consecutivo de sucesso, sendo o único foguete atualmente certificado para lançar astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional (ISS). 

O quinto lançamento operacional de astronautas da NASA, denominado missão Crew-5, está programado para o dia 3 de outubro

Antes disso, no entanto, a SpaceX planeja lançar a missão Starlink 3-4 nesta quarta-feira (31), seguida dos lançamentos Starlink 4-20, no domingo (4), e Starlink 4-2, na quarta-feira da próxima semana (7).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!