Em funcionamento há 32 anos, tendo sido lançado pelo finado programa de ônibus espaciais da NASA, o telescópio espacial Hubble continua, até hoje, nos brindando com imagens cada vez mais fascinantes do cosmos e fornecendo importantes informações científicas.

O registro desta vez mostra uma jovem estrela cercada por nuvens de cores quentes que, embora possam parecer pacíficas, os cientistas descobriram se tratar de uma região significativamente agitada.

Essa paisagem faz parte de um lugar chamado IRAS 05506+2414. A Agência Espacial Europeia (ESA), que colabora com a NASA no projeto Hubble, revelou em comunicado que o telescópio ajudou a obter uma informação fundamental sobre essa região considerada uma verdadeira “mortalha” espacial.

Segundo a ESA, os astrônomos usaram a sensível Câmera de Campo Largo 3 do Hubble para descobrir a localização exata da jovem estrela no espaço, que se presume estar a mais de nove mil anos-luz de distância, na constelação de Touro.

publicidade

De acordo com o site Space.com, com uma distância mais precisa em mãos, os astrônomos podem verificar detalhes como o brilho, a quantidade de energia que a estrela emite, sua massa, entre outros. Todos esses dados ajudam os pesquisadores a formular suposições mais consistentes sobre a origem do fluxo incomum de gases que emana da jovem estrela.

Leia mais:

Conforme diz a publicação da ESA no Instagram, o material jorra como um peculiar “spray semelhante a um ventilador” do centro da imagem a velocidades de até 350 quilômetros por segundo. O fenômeno pode ser considerado exemplo de um evento explosivo causado pela interrupção de um sistema estelar jovem e maciço. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!