Recentemente o mundo atingiu um marco histórico com um experimento de fusão nuclear que pela primeira vez produziu mais energia do que a gasta para sua realização. No entanto, o tema ainda gera bastante confusão, principalmente pelo fato da energia ser totalmente diferente da nuclear usada atualmente, apesar de nomenclaturas diferentes.

A fissão nuclear, usada nas usinas atuais, é bem diferente da fusão. Enquanto a fusão é limpa e não deixar resíduos, a fissão gera detritos que podem durar uma eternidade

  • Fusão nuclear é o processo no qual dois ou mais núcleos atômicos se juntam e formam um outro núcleo de maior número atômico.
  • A fissão nuclear é o oposto disso. Nessa, os átomos pesados se separam. Gerando detritos.

Na fissão, quando um átomo de urânio passa naturalmente pelo processo ele libera um nêutron que gira. Esse nêutron então atinge outros átomos de urânio próximos, que se dividiram em uma reação em cascata, gerando energia.

Laboratório com reator nuclear de fusão
Cientistas estão cada vez mais perto de tornar a fusão nuclear viável para geração de energia (Foto: Damien Jemison/Laboratório Nacional Lawrence Livermore)

Em uma usina, esse processo libera calor que ferve água e o vapor gira uma turbina, que gera energia. Esse método, no entanto, pode ser perigoso e contaminar o meio ambiente.

publicidade

Leia mais:

Como é a fusão nuclear?

No experimento na Califórnia, uma pequena quantidade de hidrogênio foi colocada em uma cápsula (do tamanho de um pequeno botão). Um laser então aqueceu a cápsula a uma temperatura absurda de 100 milhões de graus Celsius.

  • Esse aquecimento comprimiu a cápsula a mais de 100 bilhões de vezes a atmosfera da Terra. Reação que obrigou os átomos a se fundirem e liberarem energia.
  • Essa foi a primeira vez que uma reação de fusão nuclear liberou mais energia do que a gasta para gerar o experimento, o que é um avanço importante no setor.

Para utilizar esse tipo de energia globalmente, ainda falta bastante. Um grande empecilho é o custo, já que desenvolver e gerar essa energia pode custar bilhões de dólares.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!