O café é, indiscutivelmente, uma das bebidas mais queridinhas do brasileiro. Embora seja popular no mundo todo, o famoso “café preto” está entre um dos mais consumidos no país, junto com a cerveja e o vinho. E há quem diga que ficar sem um “pingado” pode dar dor de cabeça, ou ainda que, enquanto não tomar o cafezinho com pão na chapa, o dia “não começa”. 

Contudo, não é apenas a cafeína presente no café que os brasileiros consomem, já que bebemos também refrigerantes e energéticos com o componente. Segundo a Food and Drug Administration (FDA), a agência reguladora americana, equivalente à Anvisa, a quantidade segura de cafeína para adultos por dia é de até 400 mg. Uma xícara de 200 ml de café, por exemplo, já tem 90 mg da substância. 

Leia mais! 

Seja para tentar ser mais saudável, principal meta em 2023 conforme levantamento da V.Trends, ou simplesmente para diminuir o alto consumo de café, muitas pessoas optam vez ou outra por parar abruptamente com as bebidas, mas, segundo especialistas, o corte repentino pode, sim, causar reações de abstinência. 

publicidade

“Se você está acostumado a beber bebidas com cafeína, cortá-las rapidamente pode causar dores de cabeça, sensação de cansaço e letargia ou dificuldade de concentração”, disse a nutricionista da Fundação Britânica do Coração, Victoria Taylor, em entrevista ao Daily Mail. 

Imagem relativa a consumo de café
otello-stpdc/Shutterstock

Confira abaixo sinais de que você pode estar com abstinência de cafeína: 

  • Dores de cabeça 

Para quem achava que não, o cérebro se acostuma, sim, com a cafeína. Um simples café gera uma melhora na cognição e performance psicomotora do indivíduo, dando mais energia e o mantendo em estado de alerta, isso ocorre a partir da contração dos vasos sanguíneos e acesso ao sistema nervoso central. Quando a bebida para de ser consumida, os vasos relaxam e uma quantidade inesperada de sangue é bombeada para o cérebro, causando dor de cabeça. 

Geralmente, o sintoma dura até dois dias, mas não há nada que impeça que ele perdure por mais tempo. 

  • Cansaço 

Como mencionado, o café tem relação com energia, bem como os energéticos (como próprio nome já diz). Com o corpo acostumado a receber doses diárias do composto, na falta é comum ter moleza ou fadiga. Isso ocorre porque quando a cafeína entra no corpo ela bloqueia a adenosina, substância química que está naturalmente presente em nosso cérebro e é responsável pela sonolência. 

Quando o efeito do café acaba, volta a sensação de cansaço e sono. 

  • Mau humor 

Não é exagero quando alguém fala que “o dia só começa depois do café”. A bebida aumenta a liberação de dopamina e norepinefrina, que influenciam seu humor e sentimentos, além de também afetar o nível de glicose no sangue e as frequências cardíaca e respiratória. 

Com a pausa repentina de cafeína, os sinais desses mensageiros são enviados mais lentamente, causando o péssimo humor — explicado o “Bom dia” bem humorado só após o cafezinho!

  • Náusea e tremores 

É normal sentir náuseas quando se exclui a cafeína, ou até sintomas parecidos com o da gripe. As tremedeiras também são normais, visto que bebidas como o café são estimulantes do sistema nervoso central. 

  • Falta de foco ou concentração diminuída 

Assim como no caso do cansaço, a falta de foco ou concentração também pode estar atrelada a falta do café. Um estudo americano publicado na revista Consciousness and Cognition, em 2020, sugeriu que a cafeína pode melhorar a capacidade de resolução de problemas. Isso ocorre porque ela afeta as substâncias químicas do cérebro, incluindo o glutamato, vital para o aprendizado e a memória. 

Para aqueles que querem parar de tomar café a orientação é que a redução seja progressiva. Outra opção é escolher bebidas sem cafeína, como o café descafeinado. Vale lembrar que energéticos não são bebidas para serem consumidas diariamente, já que ela traz riscos à saúde, principalmente quando combinada com outras substâncias — como bebidas alcoólicas ou medicamentos. Quando o corte progressivo não é uma alternativa, a moderação é a melhor forma de aproveitar os benefícios da cafeína. 

Com informações do O GLOBO  

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!