Imagens impressionantes da Lua foram apresentadas na 241ª reunião da Sociedade Astronômica Americana (AAS), que aconteceu em Seattle, nos EUA, na última terça-feira (10). Os registros foram obtidos pelo Observatório de Green Bank (GBT), maior radiotelescópio orientável do mundo, com 100 metros de diâmetro.

Localizado na Virgínia Ociental, o Observatório de Green Bank (GBT) é o maior radiotelescópio orientável do mundo, com 100 metros de diâmetro. Imagem: John M. Chase – Shutterstock

Leia mais:

Como as imagens da Lua foram capturadas

Para fazer os registros, os pesquisadores emitiram um feixe de ondas de rádio a partir do GBT que iluminou a Lua. No Havaí, quatro radiotelescópios de 25 metros de largura do Very Long Baseline Array (VLBA), do Observatório Nacional de Radioastronomia, capturaram o eco das ondas de rádio.

Imagem de radar de abertura sintética da cratera Tycho da Lua, mostra detalhes de resolução de 5 metros. Créditos: Raytheon Technologies/Green Bank Observatory

Embora tenham sido feitas a partir de uma transmissão de apenas 700 watts de potência, menor do que a potência máxima de muitos fornos de micro-ondas domésticos, essas são as fotos da Lua de maior resolução feitas a partir da Terra.

publicidade

Os registros são do local onde a espaçonave da missão Apollo 15 pousou e da cratera Tycho, que é resultado de um impacto proeminente de asteroide localizado em terras altas no sul da Lua. 

Em se tratando de imagens feitas a partir da Terra, o resultado é impressionante. Na cratera de Tycho, o GBT pôde alcançar detalhes tão pequenos quanto 5 m de comprimento. No local de pouso da Apollo 15, então, o alcance foi ainda mais impressionante: o radiotelescópio capturou características de até 1,5 m.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!