Lembra do Citroën Oli? O carro elétrico que combina picape e SUV foi revelado pela marca francesa no ano passado como uma espécie de “laboratório sobre rodas” para testar novas tecnologias. Entre as novidades, a montadora usou uma estratégia bem peculiar para manter o carro mais leve: usar papelão na construção.

Capazes de suportar o peso de um adulto, as peças, incluindo capô, teto e painéis traseiros da caçamba, foram feitas no formato de “favo de mel” para reforçar a estrutura.

Leia mais:

O resultado foi um veículo com emissão zero que não ultrapassa os 1.000 kg. Com 4,2 metros de comprimento, a carroceria mais leve também é um aliado importante na economia de energia. A bateria de 40 kWh do Oli permite percorrer até 400 km por carga e recupera de 20% a 80% em cerca de 20 minutos carregando, diz a fabricante. Já a velocidade máxima, é limitada a 110 km/h.

publicidade
O capô, teto e painéis traseiros da caçamba do Oli são feitos de papelão.
O capô, teto e painéis traseiros da caçamba do Oli são feitos de papelão. Imagem: Citroën/Divulgação

Sem grade frontal e com faróis de LED em forma de C, o veículo com cara futurista também vem equipado com rodas grandes e pode levar até quatro pessoas. Por dentro, o motorista encontra dois alto-falantes Bluetooth removíveis nas extremidades do painel, portas USB e uma tela na horizontal. Um botão físico no volante controla as principais funções do carro, diz a fabricante.

O laranja é a cor dominante na cabine do carro elétrico Citroën Oli.
O laranja é a cor dominante na cabine. Imagem: Citroën/Divulgação

O Oli será exibido ao público na Retromobile Show 2023, que acontece em Paris, França, de 1 a 5 de fevereiro e estará ao lado de outros carros que também “representam marcos na história” da montadora. 

Papelão na carroceria e pneus de arroz

O Eagle Go, os pneus da Goodyear que usam menos derivados de petróleo e podem rodar por até 500 mil km, também estão “calçados” nas quatro rodas do Oli. Sua banda de rodagem (parte responsável pela aderência do carro com a superfície) é feita de óleo de girassol, resinas de pinheiro, borracha natural e sílica de cinzas de casca de arroz. Já a estrutura interna é composta por 90% de materiais reciclados.

No fim, apesar de se apenas um conceito, fica claro que o Citroën Oli é um vislumbre do futuro e traz novidades que serão provavelmente aproveitadas em outros carros de produção da marca. Resta saber se o uso do papelão no meio automotivo vai virar tendência.

Imagem principal: Citroën/Divulgação

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!