A NASA já estabeleceu futuros locais de pouso no Polo Sul da Lua para as próximas missões Artemis, a intenção é estabelecer a presença humana de forma frequente por lá. No entanto, onde esses astronautas vão ficar?

Pensando nisso, a empresa australiana PneumoCell desenvolveu um conceito de bases lunares constituído por 16 estufas que podem comportar até 32 astronautas, chamado PneumoPlanet.

PneumoPlanet é uma estrutura inflável ultraleve coberta por regolito que operará de forma autossuficiente produzindo e reciclando seu próprio oxigênio e alimentos usando energia solar

Philipp Gläser, coautor do estudo que desenvolveu o PneumoPlanet, em respota ao Space.com

Por ser uma estrutura onde os alojamentos são subterrâneos, os astronautas são protegidos do impacto de micrometeoritos e da radiação cósmica. Isso permite com que as estufas sejam um posto lunar permanente que possa ser usado como base para diversas missões futuras.

Ilustração em corte do interior de umas das estufas do PneumoPlanet (Credito: PneumoCell)

Leia mais:

publicidade

Estufas sustentáveis 

O projeto da base lunar recebeu financiamento da Agência Espacial Europeia e o estudo sugere que ele seja instalado em um dos polos lunares, região que recebe maior incidência solar, devido a uma pequena inclinação axial do satélite.

O fundador e CEO da PenumoCell, Thomas Herzig, acredita que o projeto de alojamento lunar da empresa tem um enorme potencial de ajudar os astronautas em futuras missões à Lua, já que nenhum outro oferece o mesmo que o PneumoPlanet.

Todo o esforço e energia para a impressão 3D de paredes e tetos maciços não são necessários. A inovação mais importante está nos espelhos que refletem a luz do sol visível em uma faixa de comprimento de onda ideal em uma estufa, enquanto toda a radiação de partículas nocivas é mantida do lado de fora. Dentro dessa estufa, podemos produzir oxigênio e alimentos autossuficientes de maneira natural apenas da luz solar natural, e a estufa também é um espaço natural para a tripulação

Thomaz Herzig

Em demonstração de vídeo promocional, a PenumoCell mostrou que os espelhos da base lunar PneumoPlanet contarão com tubos de fibra de carbono que o sustentarão e um anel magnético giratório, que vai permitir que eles rastreiem a luz solar. Isso fará com que a luz entre na estufa com energia ideal para a fotossíntese.

Utilização do projeto

Herzig acredita que o projeto da sua empresa pode ser uma opção para o futuro das missões Artemis, já que o projeto ainda não possui nenhum planejamento para bases lunares permanentes e sustentáveis.

Além disso, ele também compara o PneumoPlanet com a estação espacial em órbita na Lua a ser construída, a Lunar Gateway, como o fato dela não ter a mesma proteção a radiação cósmica que a ISS, já que esta última se encontra dentro do campo magnético da Terra. 

Acho uma pena colocar todo esse esforço em uma estação espacial lunar, em vez de construir algo na lua, onde você pode usar os recursos da lua, dar mais segurança e conforto para a tripulação e realizar experimentos e processos industriais na lua. Mas como a missão Artemis foi adiada tantas vezes, talvez a NASA mude de ideia sobre o Lunar Gateway e uma base lunar permanente no futuro.

Thomas Herzig

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!