Carnaval está aí e, junto com ele, os bloquinhos, as micaretas, os trios elétricos… e as multidões que esperam ansiosamente (desta vez, por dois anos!) para curtir a folia. E essa quantidade toda de gente precisa, é claro, de algo primordial: banheiros. Afinal, os quatro (e às vezes, até mais) dias de festa são regados a muito líquido (especialmente, cerveja, uma bebida bastante diurética, e, obviamente, água).

Crédito: Marcelo Soares/Pref.Olinda

A solução encontrada pelos organizadores de grandes eventos, como o Carnaval, é o uso de banheiros químicos – que servem tanto para quem precisa “descarregar” todo o líquido consumido quanto… você sabe, o “número 2”. E para onde vai tudo depois? Neste texto, você encontra a resposta.

publicidade

Quantas cabines são necessárias?

O consenso entre as empresas que alugam banheiros químicos é que seja disponibilizada uma cabine para cada 100 pessoas, com manutenção a cada 6 horas. Alguns apontam que é necessário ainda mais sanitários, um para cada 50 pessoas – o que também ajudaria a evitar a formação de longas filas. 

publicidade

Como é um banheiro químico:

  • Cada cabine geralmente comporta até 200 litros de detritos, volume quase impossível de ser preenchido se a proporção de pessoas por cabine estiver ideal;
  • Normalmente, eles são feitos de poliestireno e têm 2,30 m de altura por 1,5 de largura e comprimento e podem chegar a pesar até 80 quilos;
  • O tempo médio de vida útil de uma cabine é de 5 anos, mas algumas peças, como a porta, podem ser reutilizadas, se estiverem em bom estado.
  • Geralmente, esses banheiros não oferecem descargas, e, quando sim, elas são ativadas com pé, o que evita o contato manual.
  • Essas descargas (quanto existem) não trabalham com o mesmo processo usado em descargas comuns (utilizando água limpa para retirar os dejetos), mas com reaproveitamento.

Para onde vai o conteúdo dos banheiros químicos?

Antes de fazer a retirada das cabines no local do evento, um caminhão com bomba de sucção é acionado para retirar todos os dejetos. Do caminhão, o conteúdo é encaminhado para uma estação de tratamento de esgoto, para só depois ser descartado.

publicidade

No caso de eventos que duram mais de um dia, como o Carnaval, além das bombas de sucção, o caminhão também conta com um tanque de água que, ao mesmo tempo que retira os dejetos, faz a limpeza da cabine.

Leia mais:

publicidade

E o odor?

Além de precisar contar com um sistema de ventilação, seja por aberturas na parte superior da cabine ou tubos de oxigenação que fazem a troca com ar externo, os banheiros químicos têm um “truque” para evitar o mau cheiro.

O reservatório costuma ter produtos desodorizadores, que evitam a proliferação bacteriana. O produto é um líquido vendido concentrado e que vai se diluindo à medida que a caixa de armazenamento vai enchendo.

Eles podem parecer nojentos, mas são a melhor escolha para caso não tenha nenhum outro banheiro por perto. Cuidados como não encostar nas superfícies do banheiro químico podem deixar seu uso mais higiênico. E, atenção: fazer xixi na rua é crime! Por isso, faça bom uso da infraestrutura oferecida e bom Carnaval!

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!