Conforme noticiado pelo Olhar Digital, a Roscosmos, agência espacial russa, vai lançar a missão Soyuz MS-23 à Estação Espacial Internacional (ISS) na noite desta quinta-feira (23). O objetivo é trazer para casa três astronautas cujo veículo de retorno sofreu um grave vazamento de líquido refrigerador devido ao impacto de um pequeno meteoroide.

Vazamento detectado na cápsula Soyuz MS-22, da Rússia, em 14 de dezembro de 2022. Imagem: NASA TV

Para entender:

  • Em 14 de dezembro, um intenso vazamento de líquido de refrigeração foi identificado na cápsula Soyuz MS-22;
  • Investigações iniciais apontam que a causa teria sido o impacto de um meteoroide;
  • A nave está ancorada na Estação Espacial Internacional desde setembro de 2022, quando chegou com dois cosmonautas russos e um astronauta dos EUA;
  • Por causa do incidente, uma nova espaçonave Soyuz será lançada na noite desta quinta-feira para buscar os três tripulantes: o norte-americano Frank Rubio e os russos Sergey Prokopyev e Dmitry Petelin;
  • No entanto, a nave Soyuz MS-23 só deve trazê-los para casa em setembro;
  • Dessa forma, a missão original de seis meses dessa tripulação será prorrogada para um ano, de modo a evitar que a estação fique sem pessoal;
  • O lançamento da missão Soyuz MS-23 será transmitido em tempo real pela internet.

De acordo com um comunicado emitido pela NASA, a cápsula será lançada como nave de carga, levando alguns suprimentos para a ISS, a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 21h24 (pelo horário de Brasília).

A agência espacial norte-americana vai começar a transmitir o evento ao vivo cerca de 30 minutos antes da decolagem, no site da NASA TV, pelo app e no canal oficial no YouTube.

publicidade

Se tudo sair conforme o planejado, a ancoragem no laboratório orbital deve ocorrer às 10h da manhã de sábado (25), também com transmissão em tempo real pelas plataformas da NASA.

Leia mais:

Um ano na Estação Espacial Internacional

Originalmente, o lançamento da missão Soyuz MS-23 seria na segunda-feira (20). Esse pequeno atraso de quatro dias, no entanto, não é nada perto da prorrogação que o incidente implicou na missão MS-22. 

Inicialmente, os três astronautas ficariam seis meses morando e trabalhando na ISS – ou seja, eles voltariam para casa em março. Agora, isso deve acontecer seis meses mais tarde. Em razão disso, eles vão passar em torno de um ano no laboratório orbital.

Da direita para a esquerda: Frank Rubio, astronauta da NASA, e seus companheiros russos da missão Soyuz MS-22 Sergey Prokopyev e Dmitri Petelin. Imagem: Roscosmos

O plano é que Frank, Dimitri e Sergey continuem a bordo por mais um tempo até voltarem para casa, provavelmente no fim de setembro

Dina Contella, gerente de integração de operações da ISS na NASA, durante uma coletiva de imprensa no mês passado.

E por que isso? Pelo fato de que, como dito, a espaçonave MS-23 será lançada sem tripulação para trazê-los para casa. Se Rubio, Prokopyev e Petelin retornassem à Terra em março nesse veículo, a ISS ficaria com falta de pessoal até que uma nova missão Soyuz tripulada pudesse ser preparada para a decolagem.

Embora a missão Crew-6, da SpaceX, esteja programada para ser lançada na próxima segunda-feira (27), levando mais quatro astronautas para a estação, os tripulantes da Crew-5 já vão retornar à Terra alguns dias depois disso. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!