Enquanto o TikTok está em xeque nos Estados Unidos, a ByteDance parece investir cada vez mais no mercado estadunidense. A empresa proprietária da rede social de vídeos planeja o lançamento de novo aplicativo, o Lemon8.

Contexto

Na semana passada, o CEO do TikTok, Show Zi Chew, depôs a legisladores estadunidenses sobre a relação do aplicativo com a China. A acusação é de que a política de segurança e privacidade da rede social possibilite a espionagem, e a coleta de dados não autorizada poderia ter relação com o governo chinês. As informações de usuários do TikTok são, na verdade, armazenadas nos Estados Unidos e em Cingapura.

Leia mais:

No processo, alguns pedem até a proibição do aplicativo nos EUA, ou sua venda, para acalmar políticos estadunidenses.

publicidade

Já o CapCut, ferramenta de edição de vídeos da ByteDance que fez sucesso nos Estados Unidos, é uma das mais baixadas no país e ainda não despertou polêmicas.

Na contramão do TikTok, ao mesmo tempo que o CEO da empresa era questionado, empresas de marketing contratadas pela ByteDance mandavam mensagem a criadores de conteúdo.

A ByteDance, a empresa controladora do TikTok, convida você a se tornar criador de lançamento em sua nova plataforma, Lemon8, antes de ser lançada oficialmente nos Estados Unidos!

Lemon8: mídia social global?

Notas e materiais vinculados ao Lemon8 foram coletados e revisados pelo The New York Times. Os conteúdos declaravam a ambição da nova rede em se tornar um dos principais serviços de mídia global e falaram do sucesso do TikTok, sua “empresa irmã”.

Os materiais também mencionam que, apesar de não ter sido lançada oficialmente, a plataforma já aparece nas lojas de aplicativos e usa “o mesmo mecanismo de recomendação que ajuda o TikTok a ter sucesso”.

Divulgação

A divulgação da rede atingiu criadores de conteúdos nos Estados Unidos e mostra o esforço da ByteDance em se tornar uma das maiores desenvolvedoras de aplicativos, inclusive nos Estados Unidos.

O site de notícias Insider noticiou a chegada da mídia social no país em fevereiro e a empresa planeja impulso de marketing global para atrair usuários em maio, segundo e-mail enviado para os criadores.

Recrutamento

Agora, as companhias contratadas para abordar esses criadores estão no esforço de chamá-los e criar banco de conteúdos no app.

De acordo com a apresentação da rede, compartilhada com as agências de marketing em janeiro, a visão da Lemon8 é “construir a plataforma mais inspiradora e informativa para descobrir, compartilhar e dar vida às ideias” e o seu “retrato de criador ideal” é uma mulher de 22 a 26 anos, moradora de Nova Iorque ou Los Angeles, que produza com foco em moda ou beleza.

O recrutamento é um lembrete de como, apesar da percepção de Washington sobre o TikTok e a ByteDance, as redes sociais da empresa são amplamente consumidas por jovens e criadores de conteúdos, que ganham dinheiro produzindo por lá.

O fato de pertencer à ByteDance significa que os criadores darão chance. Existe essa chance de se tornar parte muito, muito grande da cultura.

Krishna Subramanian, fundadora da empresa de marketing de influenciadores Captiv8, uma das contratadas pela ByteDance para recrutar criadores

Resposta dos influenciadores

Crystal Scruggs, criadora de conteúdo de 29 anos de Houston, que fala sobre estilo de vida, foi uma das contatadas.

  • A mensagem chegou por meio da Obviamente, empresa de marketing que trabalha com a ByteDance, um dia depois que o CEO do TikTok, Show Zi Chew, prestou depoimento no Congresso dos EUA;
  • O e-mail convidada Scruggs a se inscrever para se tornar criadora de lançamento de moda no Lemon8;
  • Se ela fosse escolhida, ela receberia espécie de bônus para publicar no aplicativo;
  • Ela teria que criar dez postagens a serem lançadas em abril, com temas, como resenhas e recomendações de compras, ou tutoriais de moda;
  • Cada publicação deveria incluir de três a dez imagens, legenda de no mínimo 150 palavras e passaria pela aprovação do Lemon8;
  • Ela diz ter ficado surpresa pelo tom do e-mail, que é diferente dos que normalmente recebe para parcerias; o da Obviamente era impessoal e Scruggs não tinha certeza se era real;
  • A criadora de conteúdo não se interessou pela oportunidade; ela afirma que o e-mail parecia ter sido algo que era enviado para várias pessoas.

Centenas de criadores dos EUA já se inscreveram e a meta da mídia social é preencher a plataforma com conteúdos antes do lançamento.

De acordo com pessoa anônima entrevistada pelo The New York Times, depois que o Lemon8 selecionar os criadores, eles serão orientados sobre quais tópicos devem produzir conteúdo e qual deve ser a estética dos vídeos, baseado no que pode resultar em conteúdo popular.

O que sabemos sobre o Lemon8

  • O aplicativo chegou nas lojas de aplicativos dos Estados Unidos em fevereiro, mas já existe no Japão desde abril de 2020;
  • No Japão, Grã-Bretanha, Cingapura e Indonésia, a rede social já acumula mais de cinco milhões de usuários ativos mensalmente;
  • A Subramanian, fundadora da Captiv8, descreveu o Lemon8 como combinação do Pinterest e postagens de marca do Instagram;
  • Ela acrescentou que o app tem maior foco em imagens e texto do que o TikTok;
  • A rede social terá duas colunas de conteúdo, para que o usuário não perca nada;
  • Em maio, após a fase de “acumulação de conteúdo”, o aplicativo se concentrará em ganhar usuários e auxiliar os criadores e ganhar seguidores;
  • Em setembro, o Lemon8 voltará sua atenção a oportunidades de comercialização; isso inclui monetizar conteúdos dos criadores para ganharem dinheiro com marcas e agências;
  • Os criadores contratados serão apresentados na página “Discover” do app ou entre os “Rising Stars” do Lemon8;
  • Ainda não se sabe como, mas os criadores do Lemon8 poderão ter seu conteúdo comercializado no TikTok.

O que aconteceu com o TikTok pode acontecer com o Lemon8?

Os legisladores e reguladores dos Estados Unidos podem ter, sim, preocupação semelhantes com o Lemon8 e o TikTok. Autoridades de Washington disseram que o aplicativo de edição de vídeos é risco à segurança nacional e, por coletar dados semelhantes, a nova rede social pode passar por situações similares.

É uma plataforma de mídia social como o Instagram, tem a ver com a coleta de informações sobre os usuários e tem a mesma estrutura de propriedade, sendo filha da ByteDance, então acho que os mesmos problemas surgirão.

Lindsay Gorman, diretora de tecnologia e geopolítica no German Marshall Fund e ex-consultora de tecnologia do governo Biden

O aplicativo pode não ter polêmicas em sua estreia, mas, com o tempo, pode levantar suspeitas. Gorman acrescenta que “eles [mídias sociais] envolvem conteúdo e, eventualmente, isso sempre levará a conteúdo político e de notícias”.

A porta-voz da ByteDance, Jennifer Banks, não respondeu perguntas acerca do Lemon8 e se há antecipações de problemas regulatórios.

Com informações do The New York Times

Imagem: T. Schneider/Shuttestock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!