A OpenAI, dona do ChatGPT, tem até o fim de abril para atender as regras de privacidade e segurança da Itália. A notícia foi anunciada nesta quarta-feira (12) pela Garante Privacy, o órgão italiano de proteção de dados.

O chatbot está suspenso no país desde o dia 31 de março pela Autoridade de Proteção de Dados da Itália (GPDP, na sigla em italiano) e sofre investigação por suposta violação de privacidade.

O que motivou a suspensão do ChatGPT

  • Segundo os reguladores, a ferramenta alimentada por inteligência artificial (IA) não tem uma justificativa legal para o recolher tantos dados pessoais dos usuários.
  • A OpenAI também não verifica a idade de quem acessa o chatbot.
  • O aplicativo deveria ser reservado para pessoas com 13 anos ou mais, dizem as autoridades.

Em comunicado, a agência apresentou normas que precisam ser cumpridas pela empresa ainda este mês para que o ChatGPT volte a funcionar. Na reunião mais recente para discutir o tema, a GPDP pontuou ainda que não tem intenção de frear o desenvolvimento da IA, mas reiterou a importância de respeitar as regras destinadas a proteger a privacidade dos cidadãos. 

publicidade

Leia mais:

O que diz a OpenAI

Na semana passada, a empresa já havia se comprometido em ser mais transparente sobre a maneira como lida com os dados dos usuários e também aceitou a exigências de ser mais criteriosa na verificação de idade.

Vale destacar que a Itália foi um dos primeiros países a tomar medidas legais contra a OpenAI. No entanto, o rápido desenvolvimento das ferramentas de IA não está passando despercebido por reguladores de outros países.

A Alemanha, por exemplo, também avalia uma possível proibição no país. As autoridades pediram à Itália mais informações e detalhes do motivo do banimento temporário. Agências de privacidade da França e Irlanda também entraram em contato com reguladores italianos para discutir o caso.

Com informações da Reuters 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!