A Oi decidiu adiar divulgação dos seus resultados financeiros de 2022. Aviso veio na sexta-feira (21), no qual a operadora remarcou apresentação para 22 de maio, em sequência a outra – bem esperada – de seu plano de recuperação judicial.

Atraso aconteceu, principalmente, por conta das negociações em andamento com grupo de credores financeiros, conforme explicou a operadora. Empresa entrou com segundo pedido de proteção contra falência em março, alguns meses após sair de um processo semelhante.

publicidade

Leia mais:

O que se sabe

Símbolo da Oi em fachada de prédio
Apesar do adiamento, Oi divulgou números preliminares (Imagem: Shutterstock)

A Oi, no entanto, divulgou números preliminares. Eles mostram que a operadora teve receita líquida consolidada de R$ 2,62 bilhões no quarto trimestre de 2022.

publicidade

Já seu lucro rotineiro antes de juros, impostos, depreciação e amortização para operações brasileiras no período foi de R$ 320 milhões. A posição de caixa da empresa, no final de 2022, era de R$ 3,22 bilhões, acrescentou.

Numa apresentação separada de valores mobiliários, operadora disse que firmou contrato de compra de notas com alguns credores financeiros. Objetivo é estabelecer termos e condições para um devedor aprovado pelo tribunal em posse de financiamento de US$ 275 milhões (R$ 1,4 bilhão, aproximadamente).

publicidade

Recuperação judicial

Fachada do prédio da Oi
Oi pediu recuperação judicial no Brasil após fazer o mesmo nos EUA (Imagem: Agência Brasil)

A Oi pediu pela segunda recuperação judicial – esta no Brasil – e declarou R$ 43,7 bilhões em dívidas no começo de março. Pedido veio após empresa fazer o mesmo nos EUA, em fevereiro, por meio da “Lei de Falências” do país.

Essa nova tentativa de sair do vermelho também veio cerca de três meses após o fim da primeira recuperação judicial da empresa, que começou em 2018 e terminou em dezembro de 2022. Relembre o caso:

publicidade
  • Após acumular uma dívida de R$ 65 bilhões, Oi entrou com o primeiro pedido de recuperação judicial em junho de 2016 no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro;
  • Plano foi aprovado em fevereiro de 2018;
  • Em fevereiro de 2022, bancos pressionavam empresa na Justiça para resgate das dívidas;
  • Também em fevereiro, Oi disse, em nota, que cumpriu todas as obrigações da primeira recuperação judicial.

Com informações da Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!