Cientistas descobriram que praticamente qualquer material pode ser usado para transformar a energia da umidade do ar em eletricidade, em uma descoberta que pode levar à produção contínua de energia limpa.

  • Estudo publicado na revista Advanced Materials revela avanços na extração de energia da umidade do ar.
  • Pesquisas anteriores mostraram que é possível extrair energia usando material colhido de bactérias.
  • Nova descoberta revela que praticamente qualquer material, como madeira ou silício, pode ser utilizado.
  • Requisito importante: fragmentação do material em pequenas partículas e recriação com poros microscópicos.
  • No entanto, ainda há desafios a serem enfrentados em relação à escalabilidade do produto.

Leia mais:

O dispositivo, conhecido como “Air-gen”, é do tamanho de uma unha e possui nanoporos com diâmetro menor que 100 nanômetros. Esses nanoporos permitem que a água presente no ar passe através deles, criando um desequilíbrio de carga que gera eletricidade.

Ao contrário de painéis solares e turbinas eólicas, que dependem de condições específicas, o Air-gen pode ser instalado em qualquer lugar. Ele utiliza a umidade do ar, uma fonte sempre presente de energia, em vez de depender do sol ou do vento.

publicidade

Embora um protótipo produza uma quantidade pequena de energia, devido ao seu tamanho, é possível empilhar vários dispositivos Air-gen para aumentar a geração de eletricidade. A capacidade de armazenamento de energia é um desafio a ser enfrentado.

Os cientistas estão trabalhando para determinar o material mais eficiente para diferentes climas e planejam otimizar o dispositivo para capturar mais energia em um tamanho compacto. Uma visão futura é incorporar o Air-gen em tintas de parede, utilizar espaços não utilizados em cidades ou colocá-lo em locais de difícil acesso em escritórios.

A descoberta marca apenas o começo do potencial de aproveitamento dessa fonte abundante de energia limpa que está presente em todo o planeta.

Com informações do The Washington Post e Advanced Materials.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!