A Nvidia atingiu um valor de mercado de US$ 1 trilhão (aproximadamente R$ 5 trilhões, na cotação atual) nesta terça-feira (30). Assim, a companhia se junta ao “clube de US$ 1 trilhão”, um grupo bem seleto, formado, principalmente, por empresas de tecnologia.

Leia mais:

As ações da Nvidia subiram quase 6% nas negociações da manhã. Elas estão sendo negociadas a cerca de US$ 409 cada – e precisam ficar acima de US$ 404,86 para manter essa distinção ao longo do dia.

‘Clube de US$ 1 trilhão’

Logomarca da Apple em fachada de loja da marca
(Imagem: Laurenz Heymann/Unsplash)

Neste grupo, estão companhias que superam US$ 1 trilhão em total de ações. A lista é liderada pela Apple, que já se aproxima dos US$ 3 trilhões.

publicidade

Confira abaixo outras empresas que fazem parte desse “clube”:

  • Microsoft: US$ 2,6 trilhões;
  • Aramco (estatal saudita de petróleo): US$ 2,5 trilhões;
  • Alphabet (holding da Google): US$ 1,9 trilhão;
  • Amazon: US$ 1,8 trilhão;
  • Tesla (fábrica de carros elétricos de Elon Musk): US$ 1,2 trilhão;
  • Meta (dona de Facebook, Instagram e WhatsApp): US$ 1,1 trilhão;
  • PetroChina (estatal chinesa de petróleo): US$ 1 trilhão.

Retrospecto da Nvidia

Ilustração digital da logomarca da Nvidia
(Imagem: Divulgação/Nvidia)

As ações da fabricante de chips dispararam na semana passada, após a divulgação dos seus lucros trimestrais trazer números altos e baixos que superaram significativamente as estimativas.

O ganho da Nvidia impulsionou outros fabricantes de chips, com a notável exceção da Intel. E também foi impulsionado em parte por estimativas mais otimistas do que o esperado.

Significativamente, a Nvidia previu US$ 11 bilhões (R$ 55 bilhões) em vendas somente para o segundo trimestre fiscal de 2024. As vendas esperadas foram 50% maiores do que o consenso das estimativas: US$ 7,15 bilhões (R$ 35,75 bilhões).

Impactos da IA

Ilustração digital de GPU da Nvidia
(Imagem: Divulgação/Nvidia)

As unidades de processamento gráfico da Nvidia, ou GPUs, são essenciais para plataformas generativas de IA, como o ChatGPT da OpenAI e o Bard do Google.

A empresa tem sido historicamente líder no chamado campo de GPU “discreto” ou autônomo. Mas até recentemente, muitos consumidores pensavam que as GPUs eram usadas principalmente para jogos.

O advento da mineração criptográfica e da IA ​​mudou essa crença. E os fabricantes e fornecedores de GPU, incluindo Nvidia, AMD e TSMC, viram os preços das ações aumentarem significativamente nos últimos meses.

Por outro lado, a Intel, que lutou com problemas de estoque e desafios de desenvolvimento, tem se concentrado historicamente no mercado de chips para unidades centrais de processamento, ou CPUs. A empresa não tem compartilhado, comparativamente, a onda de interesse dos investidores.

Contexto

Ilustração digital de GPU da Nvidia
(Imagem: Divulgação/Nvidia)

Tem sido um ano marcante para os fabricantes de chips, partes da indústria de tecnologia e a Nasdaq.

Todos esses foram impulsionados em parte pelo frenesi da IA (inteligência artificial) ​​e, em parte, pela possibilidade de desacelerar os aumentos das taxas do FED – “Federal Reserve Bank” (Sistema de Reserva Federal), órgão governamental dos EUA cujo objetivo é estabilizar o valor da moeda.

Ao lado da Nvidia, Alphabet, Meta e Microsoft também foram impulsionadas nas negociações da semana passada.

Com informações de CNBC

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!